domingo, 23 de setembro de 2012

Novo Espaço

O blog acaba de comemorar um ano e eu pensei que estava na altura de o tornar mais dinâmico. Assim, decidi criar novas rubricas para cativar mais os leitores.
As novas rubricas são as seguintes:

      1. Passagens Memoráveis
Qual de vocês é que não ficou presa a uma passagem do livro? Sim, aquela página, aquele diálogo, aquela descrição que vos fez ler essa passagem novamente. Nunca vos aconteceu? A mim acontece-me com alguma frequência ler outra vez alguma passagem do livro. São estas pequenas passagens que tornam aquele livro especial, que o marcam na nossa memória por um longo período de tempo e ocupam o nosso pensamento durante algum tempo. Com esta nova rubrica pretendo "conquistar" as pessoas a ler o livro e deixar-se levar pela magia das palavras.

      2. Frases Marcantes
Esta rubrica não é nova por estes lados... Claro que vou continuar a deixar aquelas frases que lemos nos livros e que nos deixam sem palavras.

      3. Top Autor
Neste espaço pretendo dar a conhecer os autores com quem vou contactando e, caso já tenha lido mais do que um livro, fazer uma lista ordenando os livros por onde de preferência (do que mais gostei para aquele que menos gostei).

      4.Palavras Desvendadas
Apesar de não demonstrar muito aqui no blog, também gosto muito de escrever e dar a minha opinião sobre outros assuntos para além dos livros. Gosto, igualmente, de escreves pequenas estórias. Neste sentido, acho que chegou a altura de partilhar mais com vocês outras "faces" do meu pensamento.

      5. Poetic Dreams
Porque a poesia é uma das mais bonitas formas de expressão não podia deixar de continuar a partilhar com vocês palavras que retratam os mais variados sentimentos e nos fazem sonhar.

Deixo aqui a "porta aberta" a sugestões que possam surgir da vossa parte!

Boas Leituras :)

sábado, 22 de setembro de 2012

1º Aniversário

 

Devem ter reparado que este espaço tem "estado em obras". E qual o motivo? O Por detrás das palavras completa hoje um ano e decidi introduzir uma mudanças: visual e novas rubricas. A seu tempo irei colocar um post a dar conta das novas rubricas que irão fazer parte deste cantinho.
 
No entanto, o grande motivo deste post é agradecer a todos aqueles que passam por aqui e que gostam de ler as palavras que por aqui vão desfilando! Como forma de agradecer a todos aqueles que me seguem tenho para vos oferecer este selo que eu própria criei...
 
Regras:
  1. Copiar a imagem e referi o local de onde o retirei;
  2. Responder às questões;
  3. Envia este selo àqueles blogs que dão colorido ao cinzento dos nossos dias.
Questões
  1. Qual a palavras que mais gosto de escrever e porquê.
  2. Qual a palavra que devia que não devia fazer parte do nosso vocabulário e porquê.
  3. Uma palavra que vos descreva.
  4. Três palavras que mais gostam de ouvir e porquê.
  5. Um dia vou... (completar)
 
Boas Leituras :)

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Frases Marcantes

Éramos amigos. Às vezes, os amigos davam as mãos ou abraçavam-se. Com naturalidade. Com espontaneidade. Sem um laivo de romantismo.
Barbara Bretton, in Feitiços de amor

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

A primeira noite (Le Premier Jour #2) opinião

Autor: Marc Levy
Ano: 2010
Editora: Contraponto
Número de páginas: 350
Classificação: 6/6

Sinopse
O amor é a derradeira aventura - mas todas as aventuras implicam perigos.
Do alto dos planaltos da Etiópia às paisagens glaciais dos Urais, Marc Levy conclui com o seu novo romance a epopeia iniciada em O Primeiro Dia.
Há uma lenda que conta que a criança no ventre de sua mãe conhece todo o mistério da Criação, da origem do mundo até ao fim dos tempos. Ao nascer, um mensageiro passa por cima do berço e põe um dedo sobre os seus lábios para que a criança nunca revele o segredo que lhe foi confiado, o segredo da vida…(…) Este dedo pousado que apaga para sempre a memória da criança deixa uma marca. Essa marca todos nós a temos sobre o lábio superior, excepto eu.
No dia em que nasci, o mensageiro esqueceu-se de me visitar, e eu lembro-me de tudo.
Opinião
A primeira noite é a continuação da aventura narrada no livro O primeiro dia. E, se pensava que não iria ficar surprendia, estava perfeitamente enganada... Este livro superou a primeira parte, em todos os aspectos.
Fiquei supreendida com os acontecimentos, com o rumo da narrativa, com o desevolvimento das personagens e claro com o final. À medida que ia lendo não era este o final que esperava, ainda conseguiu ser melhor, um pouco apressado, mas melhor do que aquilo que imaginva. Marc Levy deveria ter demorado mais um bocadinho no final e não nos oferecer todas aquelas novidades em tão poucas páginas.
As descrições que vão acompanhando a narrativa são deliciosas... Elas fazem com que nos sinta-mos na estória, permite-nos criar uma imagem mental clara dos locais e dos acontecimentos.
Depois de um ínicio um pouco confuso, Adrian e Keira têm o tão desejado reencontro e este momento é de extrema beleza e intensidade... Nunca, em nenhum livro, senti tanta intensidade nas palavras que acompanhavam a descrição deste momento. Foi muito emocionante. Aliás todo o livro está envolto em suspense, amor, aventura, sobrevivência, morte, perigo, risco... É uma leitura alucinante com um ritmo frenético. Posso dizer que, neste livro, não há momentos mortos.
Adrian e Keira são as minhas personagens preferidas... Gosto da personalidade do Adrian, um pouco na lua, mas estramente sensível, cuidadoso e amoroso para com a Keira... É daquelas persongens que gostaríamos de conhecer pessoalmente. É uma pessoa, genuína, boa, inteligente, que nos desafia intelectualmente, curioso com aquilo que o rodeia. Keira é mais insensível, mas o fascínio dela pelo seu trabalho e pelas descobertas cativa-me muito.
Apesar deste livro ser fascinante, não teria tido o mesmo impacto se não tivesse lido a primeira parte. Porquê? Porque na primeira parte criamos uma ligação com as personagens e sentimos-nos ligados ao mistério que os une. O final da primeira parte deixa-nos curiosos e ansiosos por saber o que irá acontecer. Este ponto permite-nos partir para a leitura desta segunda parte com a ânsia enorme por saber mais, por saber o que vai acontecer.
É um livro lindíssimo. E com uma mensagem muito forte... Até onde é que a nossa curiosidade pela ciência e pela origem da vida nos pode levar? O que é que a sociedade está disposta a aceitar sobre a origem da vida?
Boas leituras!

domingo, 16 de setembro de 2012

Selo 7

A fantástica Carol do blog Palavras Soltas e a Maria João do blog Livros no Tempo presentearam-me com este bonito selo... 


Regras:
  1. Postar o selo e dizer quem me presenteou;
  2. Dizer 7 coisas sobre mim;
  3. Presentear 15 blogs com o selo.
Sete coisas sobre mim
  1. Adoro ler.
  2. Gosto de cozinhar.
  3. Sei fazer ponto cruz e croché.
  4. Adoro animais.
  5. Sou do norte.
  6. A parte do dia que mais gosto são as manhãs.
  7. Gosto de chá e não pass um dia sem beber uma chávena!
Presentear 15 blogs
Este selinho está disponível para todos aqueles que por aqui passarem e o quiserem levar.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Poetic Dreams

A Palavra - Da Weasel (Tema para Sassetti)
A caminho da essência eu verifico a cadencia
Da matéria que se mostra mim livre de regência
Mato a dor de sentir demais, de amar demais, de pisar demais
Em convenções fundamentais
Encho a cabeça mas não há carga nos contentores
Digo olá aos meus amores, bem-vindas novas cores
Da utopia eu crio filosofia todo o dia quando a apatia
Senta no meu colo e arrelia
Eu faço a liturgia da verdadeira alegria
Musica nos meus ouvidos agua benta em benta pia
A caminho com prudência eu não esqueço a violência
Que levou alguns dos melhores da minha existência
Mata a saudade de curtir demais,de tirar demais, de pisar demais
Em convenções fundamentais
Eu uso o tacto pra trazer a agua da minha fonte
Hoje em dia nem sequer preciso atravessar a ponte
Tenho a palavra escrita a tinta negra na minha pele
Menina dos meus olhos, doce como o mel
Palavra puxa palavra põe-me disponível pra amar
Tudo aquilo que me seja sensível
E não são poucos aqueles que eu quero sem sequer os poder ver
Foi tanto o que me deram para nunca mais esquecer
Palavra de honra, guardo a palavra no meu bolso
Na parede, no conforto de uma cama de rede
Palavra de honra


quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Frases Marcantes

Diz-se que os lugares conservam a memória dos momentos vividos pelas pessoas que neles se amaram, talvez seja uma fantasia, mas esta manhã preciso de acreditar nisso.
Marc Levy, in A primeira noite

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

O primeiro dia (Le Premier Jour #1) [Opinião]



Autor: Marc Levy
Ano: 2010
Número de páginas: 363
Editora: Contraponto
Classificação: 6/6

Sinopse:
Um objecto misterioso encontrado num vulcão adormecido vai mudar para sempre a vida de Adrian e Keira. Juntos embarcarão numa aventura extraordinária que os levará das margens do lago Turkana, no coração de África, até às montanhas da China, em busca da resposta a uma das perguntas ancestrais da humanidade: como começou a vida na Terra?
Keira é uma arqueóloga ambiciosa e cheia de paixão que está a dirigir a sua primeira escavação no vale do Omo, na Etiópia. Quando uma tempestade de areia destrói a escavação, ela não tem outra hipótese senão abandonar a expedição e regressar a Paris. Traz consigo uma jóia estranha que lhe foi oferecida por um órfão etíope…
Adrian é um astrofísico de sucesso que está de licença sabática a fazer investigação num observatório remoto, no planalto de Atacama, no Chile. Contudo, incapaz de lidar com o ar rarefeito da altitude montanhosa, é obrigado a regressar a Londres.
Enquanto competem por uma bolsa prestigiosa em Londres, os caminhos de Keira e Adrian cruzam-se. Acidentalmente, Keira deixa a sua jóia com Adrian, fazendo despertar a sua curiosidade científica. Adrian começa a investigar as origens desta enigmática jóia, e rapidamente se apercebem de que há misteriosas personagens atrás do precioso objecto…

Opinião
Este livro é simplesmente divinal... Marc Levy brinda-nos com um escrita apaixonante. Todas as suas palavras nos prendem às folhas, levam o nosso pensamento aos mais diversos pontos do planeta, liga-nos intensamente às maravilhosas personagens a quem ele dá vida.

Keira e Adrian formam um casal maravilhoso e apaixonante... Não menos apaixonantes são as aventuras que os dois partilham em busca das respostas para a sua grande curiosidade científica. Ambos adoram aquilo que fazem e juntos fazem um dupla de sucesso...
As magníficas descrições que acompanham as aventuras de Keira e Adrian são perfeitas e conseguem transportar-nos para o local... Fazem-nos querer amarrar numa mochila e voar para junto deles.
A narrativa é muito bem construída e dinâmica, não nos deixando tempo para aborrecimentos! As palavras são muito bem escolhidas pelo autor unindo-se, num conjugação perfeita, para proporcionar ao leitor as mais diversas sensações e emoções.
O final do livro é surpreendente e deixa o leitor em pulgas para ler os acontecimentos seguintes! Eu já comecei :)! Arrisquem-se também por estas páginas e não se arrependerão!
Boas leituras

Selo 6 - Selinho Suspirante



O selo foi criado pela Paula do blog Suspiros de um Amanhecer para comemorar os 100 seguidores. E foi-me oferecido pela Margarida do blog Pedaços de Amor! Obrigada Margarida!
Regras do desafio:
1- Colocar sempre em destaque o blogue onde foi criado e em segundo lugar quem o ofereceu.
2- Colocar uma imagem ou fotografia pessoal em cada tópico indicado abaixo.
3- Passar o selo e desafio a no mínimo 4 blogues onde a Amizade, os Sonhos, os Sorrisos, a Inspiração e a Imaginação se destacam mais.
Tópicos:
1. Uma lembrança/ recordação
2. Uma amizade
3. Um amuleto
4. Um sorriso
5. Uma viagem
6. Uma peça de roupa de acessório
7. Uma paisagem


Uma lembrança/ Recordação
Esta cidade, encerra em si um conjunto de memórias, recordações, pessoas que, para sempre, me irão acompanhar ao longo do resto da minha vida... Aqui vivi aventuras, chorei de tristeza e de alegria, conheci pessoas a quem ficarei eternamente ligada, soube o verdadeiro valor de um despedida... Por todas estas recordações, Coimbra é um constante recordação...


Uma amizade
Amiga Predileta

Posso contar pelos dedos das mãos os AMIGOS que tenho... São poucos mas são de qualidade, são amigos com A grande... São pessoas com quem posso contar apesar da distância física que nos separa! De entre estes amigos há uma especial a J. com quem vivi no meu último ano como estudante... Apesar do pouco tempo que partilhamos ela tornou-se uma pessoa muito especial... Uma irmã do coração. Sei que ela tem de "voar" por outros locais e isso já me deixa cheia de saudades ;(

Um amuleto


Até à bem pouco tempo não tinha nenhum amuleto... Contudo, em Julho uma criança ofereceu-me dois pequenos pingentes, um elefante e uma Hello Kitty... Foi um gesto tão sincero e inocente... Carregado de carinho que desde essa altura não os tirei da minha carteira...

Um sorriso


Trabalho com crianças e adoro os sorrisos que todos os dias elas fazem questão de nos oferecer... Melhor ainda é ver o sorriso nascer no rosto daquelas crianças onde ele andou ausente durante muito tempo devido à presença da Sr. Tristeza!

Uma viagem
Nas viagens destaco a viagem mais longínqua que fiz... Não foi uma viagem que tenha adorado, mas proporcionou-me bons momentos e permitiu-me conhecer um jardim fantástico... Esta viagem foi a França, na zona de Brive e o jardim que me deixou fascinada foi Les jardins de l'imaginaire (imagem). Visitem o site!

Uma peça de roupa de acessório
Sou incapaz de sair de casa sem relógio... Adoro relógios... Este que está na imagem é um formato que ando à procura à já algum tempo... Pode ser que no meu aniversário (que está próximo) me ofereça a mim mesma...

Uma paisagem

Adoro montanhas... Adoro o verde... Adoro sentir o vento fresco que faz bailar as folhas das árvores que preenchem as mais bonitas florestas.


E os blogs escolhidos para passar o selo são:








quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Frases Marcantes

Um beijo com sabor a papel mascado; era exactamente aquilo, um verdadeiro beijo de papel onde eu sonhava outrora escrever o afecto que tinha por ela. Certos primeiros beijos podem sacudir a nossa vida. Mesmo quando recusamos confessá-lo, é assim mesmo. Esses primeiros beijos apanham-nos em cheio, sem nos prevenirem. Às vezes também acontece no segundo beijo, mesmo que seja quinze anos depois do primeiro.
Marc Levy, in O primeiro dia