quarta-feira, 31 de julho de 2013

Palavras Memoráveis

O que é irresistível em fazer arte - ou em fazer seja o que for, suponho - é o momento em que a ideia nebulosa e imaterial se torna sólida, uma coisa, uma substância num mundo de substância.

***

Coloco as mão sobre as orelhas, inclino-lhe a cabeça para traz e beijo-a - e tento pôr o meu coração no dela, para que o guarde em segurança, não vá eu perdê-lo de novo.

***

(...) sei como a ausência pode estar presente como um nervo danificado, como uma ave negra. Amo-te sempre. O tempo é nada.

Audrey Niffenegger, A mulher do viajante no tempo

Dia 24 * 45 days book challenge

Dia 24 - Personagem Literária mais parecida contigo

Depois de andar a rebuscar na memória todos os livros que li de modo a encontrar a tal personagem, lá encontrei aquela com quem partilho algumas características. 

E a jovem escolhida é:
Jamie Sullivan 
Do livro Um momento inesquecível 
Nicholas Sparks


Tal como a Jamie sou muito sossegada, não gosto de confusões, gosto de ajudar as pessoas, sou tímida (muito)... E sim sou bastante "certinha"... 

terça-feira, 30 de julho de 2013

Beijos de Chocolate [Opinião]



Autor: Alice Vaara
Ano: 2007
Editora: Edições Asa
Número de páginas: 207
Classificação: 3 Estrelas
Desafio: De A a Z...

Sinopse
No dia seguinte ao seu aniversário e após uma valente bebedeira, Lisa toma a importante decisão de finalmente encontrar o homem da sua vida, custe o que custar!
E é precisamente nessa semana que chega à revista onde trabalha o novo director criativo, Kay Wessel, o típico don juan que Lisa decide obstinadamente conquistar. Contrariando o entusiasmo de Lisa, os seus amigos mais próximos não parecem gostar muito da sujeição por que ela está disposta a passar para conquistar a atenção de um individuo superficial e machista como Kay. Marthe, a sua melhor amiga e confidente, e Konrad, o namorado de Marthe, apoiam-na com moderação. Por seu lado, Peter, irmão de Marthe e amigo de infância de Lisa, começa progressivamente a ganhar uma estranha aversão a toda a situação...
E quando Lisa pede a Peter que a ajude a conquistar Kay, os sentimentos contraditórios de ambos vão dar uma preciosa ajuda à trapalhada que se avizinha.

Numa vertiginosa sucessão de ambientes urbanos - desdeo trabalho numa atarefada revista às conversas nocturnas nos bares da cidade de Hmaburgo - , Beijos de Chocolate tem a incontestável virtude de mostrar quão ilusórios podem ser os sentimentos imediatos. Após um longo e aventuroso processo de conquista, onde não faltam todos os ingredientes essenciais a uma boa comédia romântica, lisa acabará por desvendar coisas fundamentais sobre si própria e o mundo que a rodeia.

Opinião
Beijos de Chocolate traz-nos a história de duas amigas e as suas aventuras pelo mundo das relações. Marthe é psicóloga e mantém uma relação estável com Konrad. Lisa, a sua amiga, é uma mulher que nunca conseguiu mais do que umas aventuras amorosas. Peter, irmão de Marthe e amigo de Lisa, mantém uma relação com Kerry mas este está longe de viver um grande amor. O seu coração encontra-se preenchido por outro alguém.

Lisa não se conforma com a sua vida de solteira e reúne os seus esforços na conquista de Kay. A partir daqui sucedem-se acontecimentos hilariantes e divertidos e Lisa entra num fantástico mundo de auto-descoberta.

É um livro divertido e bastante romântico. A narrativa desenvolve-se de uma forma dinâmica e cativante o que se transforma numa leitura rápida e sem aborrecimentos. O final, apesar de pouco explorado, é bastante previsível.

Deixem-se invadir pelas palavras!
Boas leituras.
Silvana

Dia 23 * 45 days book challenge

Dia 23 - Livro que espelha a tua vida

De todos os livros que li não encontrei nenhum que espelhe a minha vida! Aliás até acho um pouco difícil isso acontecer... Cada um carrega os seus mistérios, os seus segredos, as suas idiossincrasias e só um livro autobiográfico poderia espelhar a vida de alguém. E, mesmo assim, não seria inteiramente fiel! 

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Dia 22 * 45 days book challenge

Dia 22 - Autor(a) Favorito

Mais um dia difícil! São vários e os autores e autoras que ocupam um lugar especial nas minhas preferências. 
E a minha escolha recai sobre:
Lesley Pearse

Até ao momento adorei todos os livros que li da autora. Ela consegue criar enredos que no deixam presas às páginas. Acredito que o excesso de dramatismo que a autora confere as suas histórias não agrade a toda a gente, no que me diz respeito e apesar de às vezes também achar exagerado, não consigo largar o livro!

Não consigo terminar este a escolha deste dia sem referir mais alguns que ocupam um lugar especial:
  • Tiago Rebelo
  • Sveva Casati Mondignani 
  • Marc Levy
  • Liliana Lavado
  • Torey Hayden
Entre muitos outros... 

domingo, 28 de julho de 2013

TAG | Verão com leituras

A Catarina R. do blog Sonhar de olhos abertos criou, juntamente com outra menina um Tag sobre leituras de Verão. 
Muito gentilmente, a Catarina lembrou-se deste meu cantinho e indicou-me para responder ao Tag. Fiam aqui as minhas respostas.

1. Qual é o teu género favorito para ler no Verão?
Seja Verão, seja Inverno não tenho um género preferido para ler. Desta forma, não escolho as minhas leituras consoante a estação do ano em que me encontro, simplesmente se me apetecer ler o livro leio.

2. Qual o teu lugar preferido para ler no Verão?
Um lugar onde esteja fresco e com pouco ruído de fundo.

3. Verão: campo ou praia?
Eu vivo no campo e um pouco longe da praia. Devido à distância física que me separa da praia, vou lá muito poucas vezes. Apesar de gostar da praia e de gostar de passear à beira-mar, prefiro ler no campo, é mais sossegado.

4. Qual o autor que não dispensas no Verão?
Para esta pergunta tenho uma resposta semelhante à primeira. Leio qualquer autor, independentemente da altura do ano em que estejamos. 

5. Qual o autor muito associado ao Verão que toda a gente já leu menos tu?
Não consigo encontrar nenhum. Acho que o meu problema é não associar as estações a autores e livros.


6. Qual a leitura que estás mais ansioso/a para fazer este Verão?

Perfume de paixão de Jude Deveraux. Foi um dos livros que ganhei no desafio literário do Esmiúça o livro e gosto muito da autora. Escreve romances com uma narrativa leve e cativante.

7. Que livro vai ser lançado neste Verão e estás ansioso(a) para ler?
O livro que estou ansiosa para ler já foi lançado. Sozinhos na ilha foi lançado em Junho de 2013 e as boas opiniões que tenho lido a respeito do livro deixaram-me curiosa.

8. Que saga/trilogia recomendarias como leitura de Verão?
Eu recomendaria um conjunto de quatro livros da série Sugar Maple. Dos quatro apenas li o primeiro livro, Feitiços de Amor, mas desta primeira leitura parece-me que a série pode ser uma óptima leitura de Verão. Romance e magia são os principais ingredientes de uma narrativa simples e minimamente cativante.

9. Indica 3 livros que vais ler neste Verão e 3 livros que recomendas como leitura de Verão.
Livros que vou ler este Verão
  • Diário de Anne Frank;
  • Soberba Escuridão;
  • Perfume de Paixão.
Livros que recomendaria como leitura de Verão
  • O primeiro dia e A primeira noite de Marc Levy (indico os dois porque são continuação);
  • Viagem a Capri  de Elizabeth Adler;
  • Breve história de amor de Tiago Rebelo.
Se quiserem responder a este Tag estejam à vontade para levar estas perguntas!
Boas leituras!

Dia 21 * 45 days book challenge

Dia 21 - Melhor citação (descrição)

Tal como o dia anterior, este é igualmente difícil devido à enorme quantidade de frases que vou "coleccionando" à medida das minhas leituras. De entre tantas frases, decidi escolher uma frase de um auto que foi uma verdadeira surpresa no ano passado. Um autor que passou automaticamente para o lugar dos meus autores preferidos!

Assim deixo-vos com uma frase do livro E se fosse verdade de Marc Levy. 



Ninguém é proprietário da felicidade, temos por vezes a sorte de ter um contrato de arrendamento e de ser o locatário. É preciso ser muito regular quanto ao pagamento das rendas, deixamo-nos expropriar muito depressa. 


sábado, 27 de julho de 2013

Dia 20 * 45 days book challenge



Dia 20 - Melhor citação (diálogo)

São tantos os bons diálogos com os quais me cruzei ao longo das minhas leituras que se torna difícil eleger um.
Vou escolher um do meu livro preferido e que já referi aqui no primeiro dia do desafio.

O Grande Amor da Minha Vida (O Cavaleiro de Bronze, #1)

- Shura, como é possível termos tanta intimidade? Uma ligação tão forte desde o início?
- Nós não temos intimidade?
- Não?
- Não. Nem nenhuma ligação forte?
- Não?
- Não. Estamos em comunhão.


Paullina Simons, O grande amor da minha vida


Este é um diálogo entre as duas personagens principais: Tatiana e Alexander.

[Selo] Viajando na Leitura

Mais um selo veio parar a este cantinho. Desta vez foi o selo Viajando na Leitura e foi-me gentilmente oferecido pela Beatriz do blog Esmiuçar Página a Página. Muito obrigada!


As regras deste selo são:
  • Colocar o nome do blog que indicou esse selo;
  • Usar o banner original;
  • Indicar mais cinco blogs e avisá-los;
  • Respoder à pergunta: "Qual a melhor viagem que você fez através da leitura e qual foi o livro?"
Resposta à pergunta.
Uma pergunta difícil uma vez que já fiz muitas viagens através dos livros. 
Devido a esta dificuldade vou falar-vos da viagem que fiz através do meu livro preferido, O grande amor da minha vida de Paullina Simons. Fiz uma fantástica viagem a um país que tenho alguma curiosidade em conhecer: a Rússia. Apesar de não estar retrata a cidade que eu gostaria de visitar (Moscovo) consegui ter as mais incríveis sensações com as fantásticas descrições que preenchem o livro. 

Mais uma vez vou fugir às regras porque tenho quase a certeza que a maioria das pessoas já respondeu a este selo. Porém se alguém ainda não teve essa oportunidade está à vontade para o levar!



sexta-feira, 26 de julho de 2013

Borboleta de Papel [Opinião]


A Borboleta de Papel

Autor: Diane Wei Liang
Ano: 2008
Editora: Bizâncio
Número de páginas: 214
Classificação: 2 Estrelas

Livro ganho no primeiro Buzz Literário do blog A wonderful world  da Elizabete Cruz e a quem desde já agradeço!

Sinopse
A detective Mei Wang, que já conhecemos de O Olho de Jade, debate-se com a gestão da sua agência de investigação numa China onde os detectives privados estão proibidos de exercer. Chamada a esclarecer o desaparecimento de uma deslumbrante cantora pop, Kaili, as diligências transportam-na dos bairros elegantes de Pequim para as velhas ruelas — hutongs — que ainda existem nos limites da cidade com as suas ancestrais tradições e superstições. Aí, Mei, dá por si, não apenas à procura de Kaili, mas também no rasto de uma frágil borboleta de papel que encontrou no apartamento da cantora. À medida que se aproxima o desfecho do caso, torna-se claro que a verdade nem sempre é libertadora e, quando o corpo de Kaili é encontrado, o assassino revela laços com o passado que obrigam Mei a enfrentar alguns dos seus demónios pessoais e reflectir sobre a história de um país que lida mal com os seus fantasmas.

Opinião
Este livro era uma verdadeira incógnita, uma vez que não tinha qualquer referência sobre ele. Nunca me tinha cruzado com ele e também não conhecia a autora. O próprio espaço onde a acção se desenrola foi novo para mim. Nunca tinha lido nenhum livro que tivesse como pano de fundo a China e a cultura Oriental,

China oferece-me emoções contraditórias. Se por um lado adoraria conhecer um país tão diferente do nosso, por outro o choque cultural assusta-me. Um pouco da cultura do país aparece retratado no livro e é impossível sentirmo-nos indiferentes àquilo que vamos lendo.

É um livro que nos proporciona uma leitura satisfatória. Penso que a trama e as personagens são aspectos que podiam ter sido mais desenvolvidos. A ideia que serve de base à construção da narrativa é bastante boa e do meu interesse, mas foi pouco esmiuçada. Os assuntos deviam ter sido esgotados e sente-se a necessidade da presença de outros acontecimentos de forma a tornarem o livro mais interessante.

Apesar de não ser um livro extraordinário o final conseguiu surpreender-me. Não estava à espera que as coisas evoluíssem no sentido que evoluíram. Na minha cabeça tinha projectado outro final. Porém gostei deste e fez todo o sentido no contexto geral do livro.

Deixem-se invadir pelas palavras!
Boas leituras.
Silvana 

Dia 19 * 45 days book challenge

Dia 19 - Livro em cujo universo habitarias

Nesta categoria vou ter de repetir uma escolha anterior.
Habitaria, sem qualquer problema, o universo da:

Série Mortal - J. D. Robb
(imagem retirada daqui)

Teria muito gosto em conhecer a Eve e o Roarke, assim como adoraria ter a possibilidade de desfrutar de todos aqueles aspectos futuristas.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Dia 18 * 45 days book challenge

Dia 18 - Livro para o qual escreverias uma sequela

E o escolhido era:
Face Negra - Elizabete Cruz 

Face Negra

No fundo escreveria mais dois livros: um para esmiuçar a vida de Daniela após aquele último capítulo e outro para dar seguimento àquele momento final... 
Confessou que quando terminei o livro aquele final soube-me a pouco, queria mais! Por isso acho que era capaz de lhe dar uma continuação. 
Desculpa Elizabete se por acaso arruinaria o teu bom trabalho!! :)

E vocês, houve algum livro que vos despertasse o interesse em continuar a história? 

Palavras Memoráveis

Nos contos de fadas são sempre as crianças que têm boas aventuras. As mães têm de ficar em casa e esperar que os filhos entrem a voar pela janela.
Audrey Niffenegger, A mulher do viajante no tempo

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Dia 17 * 45 days book challenge

Dia 17 - Livro Inspirador

Para esta categoria eu teria um escritora e não um livro, mas para não arruinar o tópico vou escolher o livro que li mais recentemente desta escritora.

Filhos do Abandono -  Torey Hayden 

Por várias vezes recorri aos seus fantásticos livros para me ajudar na minha prática profissional. O modo como esta escritora passa para o papel toda a sua experiência com crianças especiais deixa-me apenas a sensação: UM DIA QUERO SER COMO ELA.

Neste livro, o caso que mais me sensibilizou e inspirou foi o caso de Cassandra. 
Confesso que este género de livros pode não se enquadrar com todos os gostos literários uma vez que os temas são muito específicos. Normalmente, estes livros podem ser de maior interesse para profissionais na área da educação, psicologia ou pessoas que durante a sua vida profissional lidem com crianças especiais.Caso seja o vosso caso recomendo vivamente este livro, assim como todos os outros livros de Torey Hayden. 

terça-feira, 23 de julho de 2013

Dia 16 * 45 days book challenge

Dia 16 - Livro Perturbante

De todas as minhas leitura há um livro que me perturbou seriamente ao ponto de ter de parar a leitura porque fiquei enjoada com o que estava a ler.

O livro em questão é:

Messias - Boris Starling 

Este livro é um policial e mereci o choque! Passo a explicar: estava eu na faculdade em em conversa com uma amiga minha calhou dizer-lhe que nunca tinha lido um policial. Ela é viciada em policiais!! No dia seguinte trouxe-me um livro e disse que era bastante pesado. Quando terminei a leitura disse-lhe que não tinha achado nada de especial ao que ela me respondeu que então iria trazer-me o pior que tinha em casa. E eis que chega às minhas mãos o livro Messias. 

Os crimes são fabulosamente descritos! São tão bem descritos que me causaram nojo e repulsa. O enredo está muito bem elaborado e deixa-nos presa. Os cenários onde ocorrem as mortes é que são capazes de deixar os estômagos mais sensíveis (como é o caso do meu) em alvoroço. Apesar de ser perturbante é um livro que recomendo. É um dos melhor policiais que li até aos dias de hoje.   

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Face Negra [Divulgação do livro + Apresentação]

Quinta-feira, dia 25 de Julho, todos os caminhos vão da a Guimarães!!!

Pois é, e já esta semana que a Elizabete irá apresentar o seu mais recente trabalho. Aviso desde já que é uma leitura que vale a pena...

Autora: Elizabete Cruz
Título: Face Negra
Editora: Euedito

Sinopse
Esta podia ser a história de uma menina amorosa e inocente marcada pelo passado. Mas não, esta é a história de Daniela, a rapariga que sobreviveu a esse passado e se tornou naquilo que nunca pensaria ser, não olhando a meios para atingir os fins. Para tal conta com a ajuda do seu bizarro melhor amigo, que daria tudo para dormir com ela, e que é bem mais do que aparenta ser. E ainda tem Dyre, o seu primeiro amor e actual namorado, que definitivamente não a conhece.
Ela julgava-se forte, perspicaz e dona do seu destino. Mas o destino provar-lhe-á que estava errada. Alguém com tantos segredos, artimanhas, rancor e maldade dentro de si não poderá ter um final feliz. E o reaparecimento de um fantasma do seu passado levá-la-á a fazer algo extremo e irremediável, fazendo-a perceber que os fins nem sempre justificam os meios.
Conheçam Daniela, a jovem e inocente estudante de Medicina, que encerra em si uma terrível face negra.

“Um dia vais acordar e não vais ter nada além de arrependimentos.”


Quem quiser adquirir o livro pode entrar directamente em contacto com a autora através do seguinte endereço de e-mail:  awonderfulworld2@gmail.com.

Se quiserem saber mais sobre a autora e sobre o seu trabalho podem, igualmente, visitar o seu blog: http://awonderfulworld2.blogspot.pt/

Mas, para quem vive em Guimarães ou arredores, pode sempre aparecer esta quinta-feira, por volta das 21:30 na Casa Amarela onde a Elizabete fará a apresentação do seu livro e terá um tempinho para falar com os seus leitores. Apreçam!!!

Breve história de amor [Opinião]


Breve História de Amor

Autor: Tiago Rebelo
Ano: 2011
Editora: Edições Asa
Número de páginas: 168
Classificação: 2 Estrelas

Sinopse
Breve História de Amor é o desfile de retratos autênticos sobre relações quotidianas. Caminhos do acaso que levam homens e mulheres a cruzarem os seus destinos, por vezes, nas circunstâncias mais surpreendentes. 
Pessoas que se encontram, ou se reencontram, que se unem ou se separam, sentimentos intensos e irreprimíveis que determinam as suas vidas e alteram bruscamente e sem aviso os seus destinos.
Através de uma descrição intensa e cirúrgica, Tiago Rebelo conduz-nos aos pensamentos mais íntimos das personagens que tantas vezes se confundem com os nossos. 
Autor de romances bem conhecidos do público, como O Tempo dos Amores Perfeitos, O Último Ano em Luanda ou Uma Noite em Nova Iorque, Tiago Rebelo oferece aos leitores a versão original das melhores histórias publicadas ao longo de mais de um ano na revista Domingo, do Correio da Manhã, e ainda o conto inédito Amores Indeléveis.

Opinião
Já li quase todos os livros publicados de Tiago Rebelo e quase sempre fico com boa impressão dos seus livros. Cada um traz-nos uma história simples e de fácil leitura. São livros muito bons para intercalar com livros com narrativas mais densas.

Breve história de amor é um livro onde nos são apresentadas histórias de amor que podem acontecer a qualquer pessoa. Quase todas as histórias espalham essa universalidade através da identificação das personagens: ele e ela.
É um livro que nos proporciona uma leitura agradável, mas não nos causa arrebatamento. São histórias tão pequenas que dificilmente nos deixam algo na nossa memória. São boas para o momento deixando pequenos restos de aspectos bonitos das diferentes formas de amar. Não acontece com todas as histórias, mas devido à brevidade que cada uma delas assume faz com que sejam facilmente esquecidas.

Gostei do tom realista que o autor emprega. Sem finais exageradamente felizes ou irrealistas. Gostei do facto de serem histórias comuns de pessoas comuns e que podem acontecer a qualquer pessoa.

Esta pode ser uma boa leitura de Verão. Um livro pequeno que facilmente se lê numa tarde passada na praia ou num esplanada.

Deixem-se invadir pelas palavras.
Boas leituras!
Silvana

Dia 15 * 45 days book challenge

Dia 15 - Livro hilariante

Até ao momento já foram vários os livros que me fizeram rir. Passagens engraçadas, peripécias inconvenientes, diálogos que arrancam um bom sorriso... é bom quando encontramos isto num livro, faz-nos desanuviar de aspectos mais negros do nosso dia-a-dia.

Vou indicar o livro mais recente, uma vez que não encontro um que em termos de humor supere os outros.

E o escolhido é:

Beijos de Chocolate - Alice Vaara

Ainda não tenho a opinião aqui no blog, mas aquilo que Lisa faz para conquistar o homem que pensa ser o seu ideal fazem mesmo rir. Os seus diálogos com o seu amigo de infância, Peter, por vezes são também bastante engraçados.
É um livro com uma narrativa bastante leve e que se lê rapidamente.

E para vocês, qual foi o livro que vos fez chorar de tanto rir?

domingo, 21 de julho de 2013

Lealdade Mortal (Série Mortal # 9) [Opinião]


Lealdade Mortal (Série Mortal, #9)

Autor: J. D. Robb
Ano: 211
Editora: Edições Chá das Cinco
Número de páginas: 317 páginas
Classificação: 4 Estrelas

Sinopse
Na vibrante e misteriosa Nova Iorque do séc. XXI, a tenente Eve Dallas já sobreviveu a criminosos de todos os tipos, de meros ladrões a verdadeiros psicopatas. Mas desta vez é um bombista que está a ameaçar a sua cidade. Com a ajuda do seu marido, o magnata Roarke, Eve terá de enfrentar um enigmático grupo terrorista de nome Cassandra.

Sem objetivos claros, o grupo lança um rasto implacável de morte e ruína no mundo de Eve, e quando a sua teia de terror atinge aquelas pessoas mais próximas de si, Eve é forçada a ripostar. Afinal, esta é a sua cidade e o seu trabalho é defendê-la... mesmo quando, para isso, tem de arriscar a própria vida.

Opinião
Está é a minha série de eleição e a cada livro que leio fico mais enfeitiçada pelas personagens, pelos enredos e pelos ambientes criados pela autora.
Infelizmente, não li a série desde o início, mas é algo que um dia pretendo fazer, assim como adquirir todos os livros.

Neste nono livro da série o criminoso apresenta-se sob a forma de um grupo. Não consegui descobrir com antecedência o que estava por detrás de todo aquele cenário criminoso. Mais uma vez a autora consegue elaborar toda a cena do crime e criar boas ligações entre os acontecimentos.

Com este livro ficamos a conhecer melhor a Peabody e é-nos também apresentado o seu irmão Zeke. Gostei muito de ver esta versão mais aprofundada da personagem que é o braço direito da Tenente Eve.

Em relação à Eve e ao Roarke, estes estão cada vez melhor. Eve, ao longo do livro, reflecte muito acerca das relações e da sua atitude e comportamento na forma como se relaciona com Roarke. Ela é uma mulher com alguma dificuldade em lidar com o amor incondicional que apareceu na sua vida à quando o relacionamento com o seu enigmático marido. No fundo, a cada livro Eve vai descobrindo os caminhos do amor que até há bem pouco tempo estavam fechado para ela.

Esta é uma série fantástica e que vale a pena descobrir.

Deixem-se invadir pelas palavras e boas leituras.
Silvana 

Dia 14 * 45 days book challenge

Dia 14 - Livro comovente

Já foram vários os livros que me levaram às lágrimas, mas sempre que penso em comovente o primeiro livro que me vem à cabeça é:


A Rapariga Que Roubava Livros

É um livro intenso, com um narrador muito peculiar. Adorei cada passagem! 
E desse lado qual foi o livro que vos levou às lágrimas?

TAG | 11 perguntas, 11 respostas

Este tag já tem algum tempo, mas devido a uns imprevistos foi ficando na prateleira à espera de ser respondido devidamente. 

Quem me indicou para este tag foi a Carolina do blog Singularidades de uma rapariga loira a quem agradeço!!

Regras:
  • Escrever 11 coisas sobre si próprio;
  • Responder 11 perguntas atribuídas por quem o indicou;
  • Indicar 11 blogs;
  • Fazer 11 perguntas a quem indicamos.

11 coisas sobre mim
  1. Tenho 25 anos (mas aparento menos o que já me trouxe situações caricatas na minha vida profissional);
  2. Sou do signo balança;
  3. Gosto do Outono e do Inverno;
  4. Gostaria de conhecer as principais cidades europeias;
  5. Tenho um certo fascínio pelos países nórdicos, principalmente Suécia e Dinamarca;
  6. Adoro animais, mas por limitações alheias à minha pessoa só tenho um cão;
  7. Adoro ser leitora beta :);
  8. Aprendi a tocar piano, xilofone, jogo de sinos e xilofone baixo (já não pratico à muito tempo, por isso não sei como andam as minhas capacidades - tenho a sensação que estão muito enferrujadas);
  9. Sou psicóloga (acho que já escrevi isto milhares de vezes);
  10. Não sei nada, mas gostava de aprender;
  11. O meu nome foi um pouco a escolha do registo civil. O nome que o meu pai queria, Silviana, não foi autorizado pelo registo. 
As perguntas da Carolina

1. Para além de ler, o que gostas de fazer nos tempo livres?
Ver televisão, fazer pequenos trabalhos manuais e passear.

2. Gostavas de escrever um livro?
Porque não? Ainda estes dias umas amigas minhas disseram que devia tentar e para me sentir mais confiante aconselharam-me a fazer um curso de escrita criativa. Quem sabe não me animo.

3. Se pudesses viver num mundo de um livro/ saga/ colecção qual escolherias?
Série Mortal de J.D. Robb (pseudónimo de Nora Roberts).

4. Qual o teu género literário preferido?
Todos os tipos de romance, policiais, biografias (não sou esquisita, gosto de um bom livro independente do género ao qual pertence).

5. Qual o teu sítio preferido para ler?
No quarto.

6. O que tem de ter para ti um bom livro?
Mistério, suspense e amor... Tem de ser um verdadeiro elogio dos sentidos, ou seja, que nos desperte todos os sentidos e as mais variadas emoções.

7. Que livro recomendarias a um amigo que não gosta / não tem hábito de ler para que o começasse a fazer?
Esta é uma pergunta complicada, porque teria de aconselhar um livro de acordo com a personalidade da pessoa em questão. Só um bom ajustamento entre o livro e as características da pessoa poderá levá-la a apaixonar-se pela leitura. Indicarmos um livro sem termos em consideração a individualidades da pessoa em questão não provocará o efeito desejado.

8. Destino de sonho.
Suécia, Grécia ou Itália (mais uma vez não sou esquisita).

9. Se pudesses trocar de lugar com algum escritor, quem escolherias?
Não sei, talvez com Lesley Pearse admiro a forma como ela enreda todos os acontecimentos nos seus livros.

10. Gostas de ler vários livros ao mesmo tempo?
Sim.

11. Qual o último livro que compraste?
O grande amor da minha vida - Paullina Simons

Não vou indicar os 11 blogs, assim como não vou deixar questões, porque já é um tag antigo e metade da blogoesfera já respondeu.

sábado, 20 de julho de 2013

Face Negra [Opinião]


Face Negra

Autor: Elizabete Cruz
Ano: 2013
Número de páginas: 360 páginas
Classificação: 4 Estrelas
Desafio: Ler em Português

Sinopse
Esta podia ser a história de uma menina amorosa e inocente marcada pelo passado. Mas não, esta é a história de Daniela, a rapariga que sobreviveu a esse passado e se tornou naquilo que nunca pensaria ser, não olhando a meios para atingir os fins. Para tal conta com a ajuda do seu bizarro melhor amigo, que daria tudo para dormir com ela, e que é bem mais do que aparenta ser. E ainda tem Dyre, o seu primeiro amor e actual namorado, que definitivamente não a conhece.
Ela julgava-se forte, perspicaz e dona do seu destino. Mas o destino provar-lhe-á que estava errada. Alguém com tantos segredos, artimanhas, rancor e maldade dentro de si não poderá ter um final feliz. E o reaparecimento de um fantasma do seu passado levá-la-á a fazer algo extremo e irremediável, fazendo-a perceber que os fins nem sempre justificam os meios.
Conheçam Daniela, a jovem e inocente estudante de Medicina, que encerra em si uma terrível face negra.
“Um dia vais acordar, e não vais ter nada além de arrependimentos.”

Opinião

Em primeiro lugar queria deixar aqui o meu agradecimento à Elizabete por me ter dado a oportunidade de ler o seu livro e conhecer estas fantásticas personagens.

O Face Negra dá-nos a conhecer Daniela, uma jovem a quem a vida lhe ofereceu uma perspectiva fria das relações. Um acontecimento na sua vida marca esta viragem de atitude. A doce e inocente Daniela que conhecemos nas primeiras páginas fica escondida por detrás de uma máscara de arrogância e frieza e torna-se numa jovem calculista.

Daniela nem sempre segue os caminhos mais correctos e vê-se obrigada a tornar-se numa pessoa diferente. Apesar de toda a crueldade com que ela nos vais presentando ao longo do livro não consigo sentir ódio ou repulsa por ela. Embora não aceite essas atitudes consigo compreendê-las no contexto em que elas vão surgindo.
Esta atitude que Daniela assume perante a vida, condiciona as suas relações interpessoais. E nos seus pouco anos de vida, a relação de amizade mais certa que constrói é com Marco.
No início o comportamento de Marco irritava-me, mas no fundo este comportamento ia tendo as suas justificações. Como a única pessoa que estava presente no seu coração lhe era inacessível, vivia as suas relações amorosas de forma errante. 

A relação de amizade entre Daniela e Marco é muito bonita e está muito bem construída. Pautada por momentos doces, hilariantes e emocionantes oferece ao leitor o conhecimento daquilo a que podermos chamar de uma verdadeira amizade. Marco tanto amas as qualidades como os defeitos de Daniela. No fundo, respeita-a enquanto ser humano que é com todas as suas idiossincrasias. 

Dyre é o único que consegue tocar bem fundo no coração de Daniela. É o protótipo do homem perfeito. No primeiro momento em que ele aparece não me senti verdadeiramente tocada por ele, mas com o evoluir da narrativa ele vai-se conquistando. 

Face Negra é um livro que tem uma narrativa dinâmica, interessante e cativante. Facilmente nos sentimos conquistados pela história. Houve alguns aspectos na fase inicial da história que penso não se enquadrarem muito bem, mas que são facilmente ultrapassados pela intensidade que outros acontecimentos assumem (aliás só são notados a pessoas que tenham algum conhecimento de causa pelo assunto em questão).

Para finalizar o livro, Elizabete brinda-nos com um final que possibilita diferentes caminhos à nossa imaginação. Não sou muito fã das narrativas abertas, mas no contexto do livro faz algum sentido. Senti falta de desenvolvimentos nesta fase final, mas a mensagem principal do livro passou: Nós somos o somatório de todas as nossas atitudes. Sejam elas boas ou más temos de saber lidar com elas assim como com todas as nossas escolhas. Porém, nenhuma pessoa é melhor ou pior para julgar o comportamento dos outros.

Deixem-se invadir pelas palavras!
Boas leituras.
Silvana

Dia 13 * 45 days book challenge

Dia 13 - Sequela que nunca deveria ter sido impressa

Não consigo encontrar nenhuma série que tenha lido que se encaixe neste tópico. Até ao momento não há nenhuma série que me tenha causado algum tipo de ódio de estimação. 


(como já tenho computador :) a partir de hoje o 45 days book challenge continuará o seu percurso normal) 

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Marcada (Casa da Noite # 1) [Opinião]


Marcada (Casa da Noite, #1)

Autor: P. C. Cast & Kristin Cast
Ano: 2009
Editora: Saída de Emergência
Número de páginas: 302 páginas
Classificação: 2 Estrelas

Sinopse
Zoey Redbird tem 16 anos e vive num mundo igual ao nosso, com uma única excepção: os vampyros não só existem como são tolerados. Os humanos que os vampyros "marcam" como especiais entram na Casa da Noite, uma escola onde se vão transformar em vampyros ou, se o corpo o rejeitar, morrer. 
Para Zoey, apesar do medo inicial, ser marcada é uma verdadeira bênção. É que ela nunca encaixou no mundo normal e sempre sentiu que estava destinada a algo mais. Mas mesmo na nova escola a jovem sente-se diferente dos outros: é que a marca que a Deusa Nyx lhe fez é especial, mostrando que os seus poderes são muito fortes para alguém tão jovem. 
Na Casa da Noite, Zoey acaba por encontrar amizade e amor, mas também mentira e inveja. Afinal, nem tudo está bem no mundo dos vampyros e os problemas que pensava ter deixado para trás não se comparam aos desafios que tem pela frente.

Opinião
Marcada é o primeiro volume da série Casa da Noite. É um livro que nos apresenta mais um olhar sobre o mundo dos vampiros. Porém é apenas mais um olhar, uma vez que as autoras não nos trazem nada de novo, ou seja, no livro não se encontram elementos suficientemente originais que o tornem único e memorável.

Relativamente ao enredo este foca-se essencialmente nas aventuras e desventuras de um grupo de jovens que são escolhidos para se tornarem vampiros. Para isso são marcados e colocados numa escola especial, mas nem todos são capazes de alcançar o último patamar da mudança que é tornarem-se vampiros.

Zoey, a personagem principal, é uma jovem que é marcada e que vai assumir um papel especial neste novo mundo. É a típica jovem que aparece neste tipo de livros: faz parte de uma família com alguma disfuncionalidade, é tímida e não se sente integrada no meio em que vive. 
É uma personagem com pouca força. Não me suscitou nenhuma emoção em especial.

O grupo de amigos de Zoey é bastante engraçado e peculiar e conseguiram despertar-me alguma curiosidade para os volumes seguintes. Quero saber o que vai acontecer a cada um deles.

Afrofite, a miúda tipo Barbie, é má e no final deixou uma ameaça no ar. Perdeu a sua posição de superioridade e de líder e isto foi algo que afectou a sua auto-estima. O que é que ela irá fazer para poder recuperar o seu estatuto na escola?

É um livro de leitura rápida em que os acontecimentos vão surgindo de forma dinâmica. Pretendo ler os volumes seguintes por mera curiosidade acerca do futuro de algumas personagens e ver se o culminar da série me surpreende. 
É um livro satisfatório, mas incapaz de roubar o lugar à minha série de vampiros preferida: Academia de Vampiros de Richelle Mead.

Deixem-se invadir pelas palavras!
Boas leituras.
Silvana

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Uma pilha de livros muito bonita

Hoje venho aqui partilhar um pilha muito bonita que recebi com um passatempo.
Desta vez, o prémio veio do Desafio Literário do blog Esmiúça o livro. 

Fica aqui a foto da pilha de livros (infelizmente não tirei às capas que são lindíssimas) e dos bonitos marcadores que vieram causar furor à minha colecção.

Caso queiram ler o meu conto podem fazê-lo aqui (se o lerem gostaria muito de saber a vossa opinião):




Um Violino na Noite


Um Violino na Noite

Autor: Jojo Moyes
Ano: 2010
Editora: Porto Editora
Número de Páginas: 407 páginas
Classificação: 3 Estrelas

Sinopse
Isabel Delancey, uma mulher frágil e ainda jovem, alheada das vicissitudes do dia-a-dia, vivia para a música - era violinista numa orquestra sinfónica.
O que a prendia à realidade era o amor que sentia por Laurent, o seu marido. Quando este morre num brutal acidente, Isabel vê-se obrigada a confrontar-se com a terrível situação financeira em que o marido deixou a família e a assumir o papel de mãe que sempre tinha sido desempenhado por uma ama.
A Casa Espanhola, uma propriedade que herda inesperadamente, sendo uma fonte inesgotável de problemas, vai ser ao mesmo tempo um desafio à sua coragem e determinação, transformando Isabel numa mulher madura.
Ali, vai encontrar uma solidariedade inesperada, um rancor visceral e o amor.

Um Violino na Noite é um romance que nos fala de obsessões, vulnerabilidades, paixões e escolhas. A história envolve completamente o leitor, tornando este novo livro de Jojo Moyes uma leitura compulsiva e irresistível.

Opinião
Já tinha lido opiniões muito positivas dos livros de Jojo Moyes, por isso estava com alguma curiosidade em descobrir as suas histórias.

Um violino na noite traz-nos a história de uma jovem viúva, Isabel que quando menos esperava fica sem o marido num acidente de viação. Restou a tristeza e um conjunto de dívidas. Esta sua nova condição levou-a a enfrentar uma nova realidade. Uma realidade muito distante daquela que até então a tinha acompanhado.
Isabel, juntamente com os dois filhos, muda-se para a Casa Espanhola. Uma casa, resultado de uma herança inesperada, que lhe trará muitos problemas ao mesmo tempo que a lança numa viagem onde se re-encontra consigo mesma.

A narrativa desenvolve-se a um ritmo um pouco lento, mas não deixa de ser cativante para o leitos, apesar de ter alguns momentos mais aborrecidos.

Isabel é um personagem interessante e bem construída. Todos os seus dilemas, toda a sua inexperiência, a forma como lida com os filhos. com o luto e com os problemas que lhe vão aparecendo à frente espelham a mulher que se foi tornando ao longo dos anos. Uma mulher sensível, com uma personalidade sonhadora e peculiar e que acima de tudo amava a sua música. Enquanto se dedicava de corpo e alma ao violino o seu marido conduzia a vida familiar. Sentia-se segura com esta situação.

Uma outra personagem que apresenta uma boa construção é Matt. Obcecado pela Casa Espanhola vê o seu espírito consumido por essa ideia fixa. Depois de tudo aquilo que ele fez ao longo do desenrolar dos acontecimentos merecia outro final. A sua esposa teve uma atitude fraca. Sempre pensei que ela iria ter coragem para manter o importante passo que deu.

Bryon é outra personagem interessante devido ao mistério que o vai acompanhado. Tive pena da autora não lhe ter oferecido mais páginas no seu livro. Fiquei desapontada com a forma rápida com que a autora despachou o seu mistério e a descoberta do amor.

O final foi mais um indicador da pressa da escritora em terminar a trama. Penso que os acontecimentos surgiram de forma apressada. O Epílogo merecia mais informações e houve aspectos finais que me deixaram confusa.

Deixem-se invadir pela palavras!
Boas leituras!
Silvana

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Palavras Memoráveis

Os mortos precisam que os lembremos, mesmo que isso nos consuma, mesmo que não possamos fazer outra coisa senão dizer lamento até a palavra se tornar tão sem sentido como o ar.
Audrey Niffenegger, A mulher do viajante no tempo

terça-feira, 16 de julho de 2013

Estou de volta

Caros seguidores,

Estou de volta! Não, ainda não tenho o meu computador de volta, mas consegui um emprestado!
Ainda vai demorar uns tempos a actualizar tudo e colocar o blog no seu funcionamento normal. Para já posso adiantar que:

  • Tenho 5 opiniões de livros para publicar: Um violino na noite, Marcada, Face Negra, O defunto e Breve história de amor;
  • Responder ao TAG da Carolina do blog Singularidades de uma rapariga loira;
  • Responder ao selo enviado pela Beatriz do blog Esmiuçar Página a Página; 
  • 1 filme para opinar na rubrica Por detrás da tela;
  • Retomar o 45 days book challenge;
  • Nova entrevista para o Por detrás do autor;
  • Tenho duas rubricas novas para o blog (e estas vão apelar à vossa participação).


Espero voltar à normalidade o mais breve possível! Desde já agradeço a vossa compreensão!

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Dia 12 * 45 days book challenge

Dia 12 - Colecção (Saga) favorita

Enquanto leitora a única saga que está totalmente lida é a Twilight, mas não ocupa o lugar da minha preferida!!

A minha colecção favorita é:  Colecção Mortal (J. D. Robb) 

(imagem retirada daqui)

Infelizmente foram poucos os livros que li da série (a biblioteca municipal é um pouco pobre). Mas quem é que consegue resistir à Tenente Eve e ao seu (nosso) Roarke?
Está é uma das colecções que eu gostaria de ter na minha biblioteca pessoal. Quem sabe se um dia me sai o Euromilhões e eu compro todos os livros de uma só vez. 

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Ausência

Caros seguidores e leitores do blog,

O meu computador decidiu que precisava de umas férias e deixou de funcionar.
Por esta razão não conseguirei vir aqui actualizar o blog com a frequência desejada.
Quero pedir aqui desculpas à Carolina do blog Singularidades de uma rapariga loira, e à Catarina R. do blog A sonhar de olhos abertos pela minha interrupção no 45 days book challenge. Continuem e assim que eu consiga retomo onde fiquei (amanhã ainda será publicado o tópico referente ao dia 12 porque já está agendado).

Peço a vossa compreensão e espero encontrar-vos por aqui quando regressar.

Saudações,
Silvana

Dia 11 * 45 days book challenge

Dia 11 - Livro que não conseguiste acabar

Infelizmente tenho alguns livros que não consegui terminar, por isso vou apontar o mais recente.

Uma villa em Itália -  Elizabeth Edmondson

Aborreci-me com o livro e não o terminei. Estava a passar por uma fase menos boa quando o li, por isso ainda penso dar-lhe uma segunda oportunidade!


quarta-feira, 10 de julho de 2013

Dia 10 * 45 days book challenge

Dia 10 - Livro mais curto que já leste


Neste caso tenho que indicar dois, porque têm ambos o mesmo número de páginas: 22.

Adorava esta colecção. Apenas possuo estes dois, mas gostaria muito de ter a colecção completa. Adoro as ilustrações e as temáticas. 

Estes dois livros são muito especiais pois foram os primeiros livros da minha estante e foram prenda de aniversário!

Singularidades de uma rapariga loira [Opinião]


Singularidades de uma Rapariga Loura

Autor: Eça de Queirós
Ano de publicação: 2013
Editora: Projecto Adamastor
Classificação: 4 Estrelas
Desafio: De A a Z...

Sinopse
"Há um provérbio eslavo da Galícia que diz: «O que não contas à tua mulher, o que não contas ao teu amigo, conta-lo a um estranho, na estalagem.» Mas ele teve raivas inesperadas e dominantes para a sua larga e sentida confidência. Foi a respeito do meu amigo, do Peixoto, que fora casar a Vila Real. Vi-o chorar, àquele velho de quase sessenta anos. Talvez a história seja julgada trivial: a mim, que nessa noite estava nervoso e sensível, pareceu-me terrível — mas conto-a apenas como um acidente singular da vida amorosa…
Começou pois por me dizer que o seu caso era simples — e que se chamava Macário."

Opinião
Até à leitura deste conto só me tinha cruzado com Eça de Queirós na leitura obrigatória do 11º ano, Os Maias. Na altura fui das poucas pessoas da turma que leu o livro na integra e fiquei com uma opinião muito positiva do livro.
Entretanto surge o Projecto Adamastor, torno-me voluntária e a primeira obra que revi foi precisamente esta.

É um conto muito simples que nos traz a história de um amor e de uma mulher singular. Esta mulher, de seu nome Luísa, dotada de uma beleza encantadora, enfeitiça o coração de Macário.
Macário decide fazer tudo por este amor e arrisca a sua vida segura em busca deste ideal.

Eça de Queirós cria um enredo cativante com personagens muito reais. Foi muito bom este re-encontro com a narrativa de Eça de Queirós.

Quem quiser ler este conto, ele está disponível aqui.

terça-feira, 9 de julho de 2013

Dia 9 * 45 days book challenge

Dia 9 - Livro mais longo que leste 

Nómada - Stephenie Meyer
Nómada

Número de páginas: 836 páginas

Acho que este livro só tem 836 páginas porque tem um tamanho de letra considerável. Acho que já li livros com menos páginas que se tornam mais longos que este. Contudo este acaba por ganhar em número!


segunda-feira, 8 de julho de 2013

Dia 8 * 45 days book challenge

Dia 8 -Livro tão mau, mas tão mau que consegue ser bom

Este tópico é complicado porque, para mim, quando um livro é mau, é mau e não há discussão. Não sei como é que um mau livro chega ao patamar de ser bom de tão mau que é.

Por esta razão, não tenho um livro que encaixe nesta categoria.
Aceitam-se sugestões. 

domingo, 7 de julho de 2013

Dia 7 * 45 days book challenge

Dia 7 - Livro que te desiludiu

O véu pintado - Somerset Maugham

A desilusão deste livro advém do facto de ter visto primeiro o filme. 
Vi o filme no autocarro numa das minhas viagens de fim-de-semana, quando estava a estudar. Adorei o filme. Fiquei completamente rendida. Quando descobri que havia livro tive logo de tratar de o ler. Infelizmente, as minhas expectativas estavam demasiado altas. Dei de caras com um livro com uma narrativa lenta e pouco apaixonante. Nos momentos finais, o casal do livro não correspondeu ao casal que conheci no filme. No livro, faltou a intensidade emocional que o filme nos ofereceu. 

TAG | 5 perguntas sobre literatura que nunca ninguém fez

A simpática Carolina do blog Singularidades de uma rapariga loira ofereceu este TAG com 5 perguntas muito difíceis (ainda por cima é o meu primeiro TAG) .  

As regras são responder as seguintes perguntas e passar a 5 blogs.
Como penso que já venho tarde e os blogs que costumo seguir já receberam estão na liberdade de pegarem nas perguntas e responderem.

1. Que escritor você odeia mas tem medo de assumir?
Odiar é uma palavras muito forte. Por isso vou indicar um autor que gosto pouco e tenho de facto medo e vergonha de assumir. E o eleito é José Saramago. Já tentei ler "O memorial do convento" e simplesmente não consigo. Sinto-me muito mal sendo Saramago um escritor tão importante para a nossa cultura literária. Tenho de voltar a dar-lhe uma oportunidade para ver se consigo mudar esta minha visão um pouco negra.

2. Qual é o pior clássico da língua portuguesa?
Não vou indicar nenhum porque não tenho conhecimentos literários suficientes para indicar. Li muito poucos clássicos portugueses (algo que tem de mudar) e dos que li não houve nenhum de que não tenha gostado.

3. Se você pudesse namorar com algum personagem de algum livro, com quem seria e porquê?
Roarke! Simpático, cuidadoso, inteligente, amoroso e rico (acho que não é preciso dizer mais nada)

4. Que personagem da literatura seria sua inimiga mortal?
Existem personagens que me irritam por diversos motivos agora daí a serem possíveis inimigas vai uma longa distância. Das várias personagens com quem não simpatizei, aquela que me vem logo à cabeça e Sookie Stackhouse da série Sangue fresco. Acho uma miúda tão insípida e irritante. Falta-lhe algo que não sei explicar! 

5. Que livro você rasgaria sem dó nem piedade? 
Nenhum. Os livros são demasiados valiosos para serem alvo de uma atrocidade destas. Eu seria incapaz de rasgas um livro.