quinta-feira, 29 de maio de 2014

Maratonas Viagens (In)Esperadas (5) | Desafios 3, 4 e 5


Desafio 3
O feitiço vira-se contra o feiticeiro.
Foca-te no livro que estás a ler agora, qual seria a pior coisa que poderia acontecer à personagem principal?

Neste momento estou a ler dois livros, mas vou escolher a Fainne do livro A filha da profecia. O pior que lhe poderia acontecer era que os planos que ela tem para Sevenwaters falhassem e que deixasse de pensar por ela própria para seguir os ideias da sua avó.... 
Estou mesmo muito curiosa para saber como é que ela vai ser recebida em Sevenwaters e para ver se ela mantém a sua linha de acção. Tenho quase a certeza que ela vai pensar por ela própria e vai conseguir contornar aquilo que a sua avó tem destinado para ela.

Desafio 4
Chegámos a meio da maratona. Que tal uma pequena caça ao tesouro? Nós vamos dar-vos 3 combinações de dois números (1º corresponde ao número da prateleira, 2º corresponde ao número de livros contados da esquerda para a direita) e vocês devem tirar uma foto aos 3 livros escolhidos e falar-nos um pouco sobre eles)

Orgulho e Preconceito de Jane Austen

Este é um livro que quero muito ler. Já vi o filme e fiquei encantada e as muitas opiniões positivas que li sobre o livro aumentaram a minha vontade de o ler. Espero conseguir lê-lo em breve.

A cabana de William P. Youg
Tenho este livro há já alguns anos aqui na minha estante para ler. Na altura em que o recebi fiquei entusiasmada para a leitura, uma vez que tinha ouvido falar bem dele numa reunião de estágio. Depois a vontade esmoreceu e agora ando constantemente a adiá-lo. Quero ver se ainda o consigo ler este ano.

Sonhos Proibidos de Lesley Pearse
Eu sou uma fã incontestável de Lesley Pearse. Já li muitos livros dela, mas infelizmente na minha estante ainda só habitam dois (este e o Nunca me esqueças). Quero muito conseguir todos os livros da autora e estou bastante curiosa para ler o livro que é a continuação deste. Eu adorei este livro (mas não é o meu preferido da autora), fiquei apaixonada pelas personagens e pelos acontecimentos, uma leitura que fui poupando só porque não queria acabar depressa. Gosto de saborear as palavras de Lesley e ficar a ressacar das histórias durante imenso tempo.


Desafio 5

Hoje começa a Feira do Livro em Lisboa. Se pudessem ir à Feira que escritor gostariam que estivesse presente para vos dar um autógrafo?

Uma das coisas que mais tenho pena é de viver tão longe de Lisboa que não me permita ir. Escolher um escritor é muito complicado, porque há muitos que gostaria imenso de conhecer pessoalmente. Uma das que queria mesmo conhecer era a Carina Rosa, que eu sei que vai estar na feira do livro. Também gostaria muito de conhecer a Liliana Lavado. Sei que o ano passado ela esteve na feira, mas este ano não sei se vai lá estar. Seria um prazer imenso conhecer estas duas autoras para quem fiz/faço leituras beta. 

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Maratonas Viagens (In)Esperadas (5) | Divulgação + Desafios 1 e 2


Divulgação
Chegou o mês de Maio e com ele mais uma maratona Viagens (In)Esperadas. 
Para este mês o tema é livre e decorre entre às 00:00 do dia 26 e as 23:59 do dia 30. 

Desafio 1
O que vais ler?
Mostra-nos quais os livros que te vão guiar nesta maratona. Vais guiar-te por algum tema?

Eu vou andar de volta de duas leituras:
  • Anna Karenina - este livro de leitura conjunta já se arrasta há alguns meses e quero mesmo terminá-lo esta semana. Espero que a maratona me dê a motivação necessária que me tem faltado.
  • A filha da profecia - comecei este livro há uns dias e já estou completamente agarrada a ele. Acho que será um bom livro... Até agora o que mais gostei desta série foi o livro O filho das sombras, mas penso que este tem grande potencial para detonar o lugar ocupado pelo seu antecessor.

Sendo assim não vou seguir nenhum tema!
Desafio 2
O que é que tu pareces para mim?
Pega num dos livros que pensas ler para a maratona. O que é que esperas dele? Onde pensas que ele te levará? O que esperas das personagens?


Para este desafio vou escolher "A Filha da Profecia"... Ainda vou mesmo no início e estou com as expectativas bastante altas... Espero encontrar um livro cheio de mistério e magia, espero que ele me leve à floresta de Sevenwaters onde possa encontrar personagens dos livros anteriores que me fascinaram. Espero que Fainne me surpreenda e consiga superar o efeito que a sua tia Liadan deixou em mim.

Cata, obrigada pela recomendação . Se não fosse um pouco o teu incentivo acho que nunca iria pegar nesta série e sinto-me derretida por ele. Fiquei fã da autora.


sábado, 24 de maio de 2014

TAG | Livros em Família


Esta Tag foi criada pela Andreia do canal a Croma dos Livros, para o Cinco Páginas. 
Para quem não sabe, o Cinco Páginas é um canal que surgiu recentemente no Youtube dinamizado por meninas que adoram ler. Ainda não tive muito tempo para assistir a todos os vídeos que elas vão publicando, mas  espero fazê-lo brevemente.

Esta Tag é muito simples, basta responder a sete perguntas muito simples. Aqui ficam as minhas:

1 - És a única pessoa que lê da tua família?
Não sou a única pessoa que lê. Tenho uma prima e uma tia que partilham este mesmo gosto. Cá em casa, nem os meus pais nem o meu irmão gostam da leitura.

2 - Quem te iniciou na leitura?
É assim, na primária aprendi a ler, mas nem a professora nem outra pessoa me direccionou para o mundo da leitura. A biblioteca itinerante passava cá pela aldeia e foi assim que eu comecei a construir e a desenvolver o meu particular gosto pela leitura, mas não houve ninguém em especial que me tenha induzido a ler e desenvolver o gosto pelos livros.
 3 - Já tentaste convencer alguém a ler?
Não. Penso que é algo que tem de partir de nós, por muito que nos digam coisas positivas leituras acerca dos livros e da leitura, essas pessoas só irão ler se intrinsecamente o quiserem. Por vezes, calha falar de livros com pessoas que não gostam de ler e apesar de eles sentirem o meu entusiasmo ainda nenhuma quis ler por causa disso. Neste sentido, penso que deve partir de nós e, talvez, da introdução de livro e da leitura logo desde criança.

4 - O que é que a tua família pensa/diz sobre o facto de leres?
Não dizem nada em especial. Respeitam este meu gosto pessoal, mas nunca se pronunciaram (pelo menos à minha frente) acerca deste meu gosto. 

5 - O primeiro livro que te lembras de te terem lido?
Nunca ninguém leu para mim. Cá em casa não havia esse ritual, por isso nunca ninguém me leu nada. 

6 - Se pudesses pertencer a uma família fictícia qual seria?
Esta é uma pergunta um pouco complicada, gosto bastante da minha família e não me via a pertencer a outra, mas caso pudesse pertencer a uma família literária gostava muito de pertencer à família da Matilda do livro Segue o Coração de Lesley Pearse. Assim, poderia conhecer uma mulher extremamente corajosa.

7 - Que livros lerias aos teus filhos?
 Tantos :)
  • A Fada Oriana (Sophia Anderson)
  • A Menina do Mar (Sophia Anderson)
  • Os livros da Anita
  • O Polegarzinho
Entre outros.... 

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Palavras Memoráveis


- Era tão meiga a tua mulher… - Joséphine oferecia-me de novo uma tigela cheia. – Não me lembro muito bem das suas feições – acrescentou ela - , mas sei que era doce tudo nela era doce, o olhar e a voz.
- Eu também não – disse eu –, não me lembro do seu rosto… Procuro-o, por vezes, tenho a impressão de que vem ao meu encontro, mas depois apaga-se, não resta nada, e então enfureço-me, acuso-me…
- Mas porquê, grande parvo?
- Não me lembrar das feições daquela que amei… Sou um patife.
Joséphine encolheu os ombros:
- Patifes, santos, nunca vi nada disso. Nada é preto ou branco, é o cinzento que se impões. Homens ou almas, tanto faz… Tu és uma alma cinzenta, estranhamente cinzenta, como todos nós…
- Palavras, nada mais que palavras…
- Que mal te fizeram as palavras?

Almas Cinzentas, Philippe Claudel 

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Divulgação | Uma Criança Maior


Desde já quero pedir uma grande desculpa pelo meu blog andar muito parado, mas há prioridades e neste momento o blog teve de passar um pouco para segundo plano. Mas em Junho as coisas estarão um pouco melhor (pelo menos espero ler durante os próximos tempos, em Abril só li um único livro, Clepsydra de Camilo Pessenha) e quero preparar um mês especial para vocês. 

Em Junho assinala-se o Dia Mundial da Criança e porque eu acredito que em cada um de nós ainda vive um pouco da criança que fomos ou, melhor ainda,  ainda existe dentro de nós uma criança que fomos alimentado e desenvolvendo não podemos deixar de passar este dia ao lado. O que é que eu pensei para este dia? Mimar-mos com palavras as "crianças maiores" com quem contactamos aqui na blogoesfera. 

Passo a explicar.

O que se pretende com a iniciativa será escrever-mos uma mensagem para uma pessoa que será seleccionada para nós daqueles que se inscreverem na iniciativa. Pode ser uma frase inventada por vocês ou um frase retirada da net... Fica ao vosso critério.

Fases:

1. Inscrição na iniciativa, que será de hoje, dia 9 até dia 20 de Maio. Para isso basta preencherem o formulário.
2. Dia 21 irei atribuir a cada pessoa a sua "criança maior" e irei mandar a cada uma dessas pessoas um mail com o nome da pessoa que lhe calhou.
3. De 22 a 25 de Maio terão de me enviar um mail com a mensagem que querem deixar à pessoa que vos foi atribuída. 
4. Dia 1 serão publicadas as mensagens que cada um(a) enviou para a sua "criança maior". 



Espero que gostem desta iniciativa!

Caso tenham algum tema relacionado com a infância que queiram ver aqui abordado no mês de Junho basta deixarem nos comentários que terei todo o gosto em escrever sobre aquilo que mais querem ler.

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Palavras Memoráveis


(imagem daqui)
Kevin rodou a cabeça e olhou para mim. – Acredita na existência de Deus? Estive a pensar nisso e não acho que possa existir.
- O que é que te faz pensar assim?
- Nenhum Deus faria um mundo onde houvesse tantas pessoas que não têm um único ser que as ame. Se o mundo tivesse sido feito segundo um plano, haveria pessoas suficientes para toda a gente ser amada.
- Existem muitas pessoas, Kevin. É provável que as haja em número suficiente.
- Não. Não há. Existem muitas pessoas no mundo que não têm alguém que as ame realmente – contrapôs. Fez uma pausa e ficou a analisar a mão. – Estou a falar de amor verdadeiro, em que as pessoas nos amam sem olhar a quem somos.
- Bom, tenho de admitir que a culpa não é necessariamente de Deus. Calculo que Deus nos concedeu a todos os meios necessários para amar.
Sorriu para mim. – Hum! A Torey ainda nem percebeu do que é eu estou a falar. Não faz a menor ideia. Foi sempre amada, não é verdade? Sempre teve pessoas que a amassem.
Não respondi.
- Ora bem, tem, não tem?
- Sim, tenho.
- Então, não faz a mais pequena ideia, nem tem a mais ínfima noção daquilo que estou a dizer. Não faz ideia do que é nunca ter sido amado.
- É provável que não.
- Sabe do que morre a maioria das pessoas?
Abanei a cabeça.
- Mal do coração. É como um cancro invisível. Está no nosso coração. Pode-se senti-lo. Come-nos por dentro. É o que se tem quando não se faz seja o que for para além de nascer. O coração nunca é utilizado. E por isso apanha-se o mal do coração e o coração degrada-se. Muitas vezes, antes de o resto do corpo se degradar. Só que isso não tem importância porque, uma vez morto o coração, também estamos mortos.

A prisão do silêncio, Torey Hayden

terça-feira, 6 de maio de 2014

Top Ten Tuesday | Serenatas de Coimbra


Esta semana vou fazer um Top Ten diferente. O que estava reservado para esta semana era elegermos 10 capas de livros que consideramos verdadeiras obras de arte, mas como estava a sentir alguma dificuldade em escolher, decidi mudar o meu rumo.

Esta semana será uma semana saudosista (sim sou bastante saudosista), porque assinala a passagem de mais ano desde a minha última queima das fitas. Sei que todos os estudantes relatam que o tempo de estudante é especial, eu não conheço outra realidade para além daquela que vivi em Coimbra. É uma magia e um sentimento que não consigo expressar por palavras... Por muito que aqui pudesse escrever, seria insignificante para vos transmitir aquilo que vivi naquela cidade. Sendo assim decidi partilhar com vocês 10 fados que mais gosto de ouvir e que fazem parte da cidade de Coimbra. Acreditem, ou não, isto fica-nos no sangue e não há nada que nos arrepie mais do que sentir os acordes de uma guitarra... Espero que gostem!

Balada da Despedida do 5º Ano Jurídico 88/89 


Maria 

Balada da Despedida 2012

Minha Mãe

Balada da Despedida - 2007

(não consegui encontrar a versão da Serenata, mas deixo-vos um interpretação muito boa feita pela Tuna Masculina de Medicina da Universidade de Coimbra - TMUC)

Samaritana

Menino D'oiro

Canção das Lágrimas

Balada dos meus amores

(também não consegui deixar aqui a versão da Serenata, mas está também é bastante bonita)

Saudades de Coimbra

Os estudantes deram e continuaram a dar a Coimbra, fados e baladas, livros e poemas, sonhos e saudade. É por isso que mesmo que a Porta Férrea fique para trás na vida de todos, Coimbra nunca parte.
L. M. 
(esta frase é da autoria de uma amiga minha, que muito gentilmente partilhou comigo na minha fita de finalista)



segunda-feira, 5 de maio de 2014

TAG | Se eu fosse um livro


Retirei esta TAG do blog da Marta I only Have. Não consegui encontrar o autor da TAG.

Como é uma TAG simples, e o blog parece atingido pela inércia, achei que seria bom dar vida ao blog e partilhar com vocês esta TAG tão engraçada. 

1. Qual seria o título do seu livro?
Mundo ao Contrário

Acho que seria o melhor título, porque muitas vezes é assim que me sinto... Como se pensasse de uma forma à parte da realidade com que contacto e que, muitas vezes, vai contra aquilo em que acredito e aquilo que defendo.

2. Que autor escreveria a sua história?
Karen Rose

É uma autora com uma escrita muito cativante e que concilia muito bem romance e policial, dois géneros que gosto particularmente. 

3. Que capa você escolheria?
Uma capa simples, com uma gradação de cores do mais claro para o mais escuro, com uma imagem do globo terrestre, divido a meio e em que uma metade teria cores alegres e bonitas  e a outra cores mais escuras.

4. Seu livro seria com capa mole ou capa dura?
Capa mole. É mais fácil para as pessoas manusearem.

5. Quantas páginas teria?
Entre 350 e as 450, acho que seriam páginas suficientes para criar um bom livro.

6. Que género seria e por quê?
Policial, porque, queria conjugar uma protagonista com um pensamento forte e que, ao mesmo tempo que tenta desvendar um crime luta contra aquilo que acha ser incorrecto.

7. O comentário de quem você gostaria de ver na contracapa?
Carina Rosa, porque neste momento estou ler uma versão beta de um livro dela que é um policial e que partiu de uma ideia muito engraçada.