domingo, 29 de junho de 2014

Maratonas Viagens (In)Esperadas (6) | Do desafio 2 ao desafio 14


Desafio 2 
Pensem em vocês enquanto leitores. Qual foi a primeira saga/série que vocês terminaram? Quantos livros tinha essa série? Qual foi aquele volume e personagem que vocês mais gostaram?

Eu não sou muito dada a séries. Só muito recentemente é que me dediquei a lê-las. Recuando no tempo a primeira série que me lembro de ter terminado foi a Série Twilight de Stephenie Meyer. Esta série é constituída por quatro livros (Crepúsculo, Lua Nova, Eclipse e Amanhecer) e li-os quase todos de seguida em Agosto de 2011. Era um período de fome literária (isso lembro-me bem), porque tinha começado a trabalhar em Fevereiro e desde aí tinha lido muito pouco. Na altura gostei bastante da série, hoje se a fosse a ler não sei se a minha opinião e o meu encanto se manteriam. A personagem que gostei mais foi Alice, irmã de Edward.



Desafio 3
Partilhem uma frase/diálogo de uma série que vos encantou.

Ele não conseguiu dizer as palavras certas para lhe dizer adeus. Hesitou. Magoara-a ao falar na dor da sua alma. Jurara que não a magoaria, mas magoou. Ter-lhe-ia dito… ter-lhe-ia dito, não interessa se estás aqui, ou ali, porque, para mim, estás sempre presente, a cada momento. Vejo-te na luz da água, no abanar das árvores jovens ao vento da Primavera. Vejo-te nas sombras dos grandes carvalhos, ouço a tua voz no chamamento da coruja, à noite. Tu és o sangue nas minhas veias e no bater do meu coração. Tu és o meu primeiro pensamento, ao acordar e o meu último suspiro antes de adormecer. Tu és… tu és carne da minha carne, sangue do meu sangue.

Juliet Marillier, A Filha da Floresta
(Esta era a descrição dos sentimentos de Red, quando Socha partiu com os irmão. Adorei a descrição! A autora conseguiu ir ao fundo do coração de uma personagem e colocar em palavras algo tão difícil como é o dizer adeus a uma pessoa de quem gostamos muito)


Desafio 4
Tira uma foto de um ou mais livros de uma série que “habite” a tua estante.

Série Edilean de Jude Deveraux. É a série com mais livros que habita a minha estante.

Desafio 5
A vossa série literária
Nome da série: Asas Livres
Número de livros: 3 livros
Época: Futurista - Em 2080
Enredo: Cada livro seria dedicado a uma Fada que teria de desempenhar algumas funções. No primeiro livro o problema seria relacionado com o planeta, no segundo com os livros físicos/digitais e o terceiro com um problema da condição humana.
Personagens:
Fadas - Luna, Fada Azul, Luz
Par romântico e simultâneamente ajudante humano das fadas - Rodrigo, Edgar e Simão.

Desafio 6
Este mês assinalou-se o Dia Mundial da Criança. Fotografem a vossa leitura actual com algo que vos transporte à vossa infância.
Eu estou quase a terminei a leitura Provocadora de Madeleine Hunter e decidi fotografar este livro com uma boneca. Eu gostava muito deste tipo de bonecas, tanto que consegui conservar uma. Esta boneca foi-me oferecida já eu era jovem adulta, mas continua a levar-me para a minha infância. Para mim, são bonecas cativantes e melhores que as ditas Barbies. Destas últimas só conservei uma, as outras perderam o cabelo precocemente, assim como o seu corpo não ficou nas melhores condições (por vezes conseguimos ser crianças terríveis).


Desafio 7 
Qual a vossa relação com as séries? Gostam de séries ou preferem livros individuais?

Pessoalmente, prefiro livros individuais. Como sou um pessoa que frequenta muito a biblioteca e grande parte das minhas leituras provém daí é muito irritante constatar algumas coisas em relação aos livros da biblioteca:
1. Por vezes têm o primeiro volume da série - isto torna-se um problema quando gosto da série e quero continuá-la.
2. Por vezes têm séries descontinuadas - têm o primeiro e depois o 3 e 4... Ou então não têm o primeiro e só têm os restantes e esta situação limita as nossas leituras. O querer acompanhar uma série torna-se numa verdadeira missão impossível.

Quando não são livros da biblioteca torna-se mais complicado para a nossa carteira.
Um outra situação que me irrita é quando compro/ganho um livro e constato que é de uma série e que me faltam os volumes anteriores. Se os volumes não estiverem relacionados e der para ler de forma individual óptimo, mas quando há dependência entre os volumes é coisa uma muito chata.


Desafio 8 
Estamos a meio da maratona. Como está a correr? Já acabaram algum livro? Contem-nos tudo!

Está a correr bastante bem, não me posso queixar.
Já terminei o livro Sozinhos na ilha, que já tinha iniciado antes da maratona.
Já li A Provocadora e Amor à primeira vista. Mais logo conto começar o livro Dias de Ouro de Jude Deveraux.

Desafio 9
Continuam a ler uma série quando apenas gostam do primeiro livro, sem o achar extraordinário? Ou são daquelas pessoas que têm sempre de ler todos os livros da série? Compram um livro de cada vez ou a série toda?

Sim, continuo. Tenho sempre a esperança que o segundo livro seja melhor, porque gosto de olhar para o processo de escrita como uma evolução. Até ao momento só uma série é que não me convenceu a ler o segundo livro (A casa da noite de P. C. Cast). Se depois de ler o segundo as coisas não me encantarem também não fico muito entusiasmada em continuar a ler a série.
Em relação às compras, as coisas são um pouco diferentes. Só compro livros de séries que gosto mesmo e vou comprando à medida que vai saindo. Mas compro muito poucas séries.

Desafio 10
Pensem na série que estão a ler no momento
Na altura em que este desafio foi publicado estava a ler Dias de Ouro de Jude Deveraux.
1. Quantos livros já leram desta série?
Este era o segundo livro que estava a ler.

2. Um ponto positivo da série
Os diálogos! São bem construídos com toques de humor e provocação que nos proporcionam uma boa leitura.

3. Um ponto negativo da série
Os finais um pouco apressados. Tanto no primeiro como no segundo volume os finais deixaram-me frustrada porque queria saber mais (esta frustração foi maior com Dias de Ouro).


Desafio 11
Quais as séries de livros que já vos acompanharam em 2014? Já acabaram alguma este ano?
  • Série Predadores da Noite de Sherrilyn Kenyon;
  • Los hermanos Martí de Anna Casanovas
  • Sevenwaters de Juliet Marillier
  • Asas da Glória de Sarah Sundin
  • Kendrick/ Coulter/ Harrigan de Catherine Anderson
  • On the Island de Tracey Garvis-Graves
  • As flores mais raras de Madeleine Hunter

Desafio 12
Escolhe uma personagem de uma série que já tenhas lido (diferente do livro que estás a ler actualmente). Imagina que ela entra no livro que estás a ler agora. O que é que ela poderia mudar na história?
Neste momento estou a ler Dias de Ouro de Jude Deveraux que pertence à série Edilean. Para entrar neste livro eu chamaria a Eve Dallas da série Mortal de J.D.Robb para vir dar uma valente coça no James e na sua comitiva. A ver se assim o prendia e a Edilean e o Angus ficavam em paz. Seria uma conjugação interessante: Juntar a este livro em que a acção se passa em 1976 uma personagem vinda do mundo futurista!

Desafio 13
Qual aquela série de livros que gostarias de ler mas que te intimida? Porquê?
A série Senhor dos Anéis, porque está longe de ser dos meus géneros preferidos e se não me identifico minimamente com os filmes com os livros não será diferente. Esta é daquelas séries que acho que nunca irei ler.

Desafio 14 
Pensa nas séries que já leste e escolhe (sem repetir séries):
  • o teu protagonista masculino preferido - Roarke da Série Mortal de J.D. Robb
  • a tua protagonista feminina preferida - Keira da duologia O primeiro dia de Marc Levy 
  • o teu vilão preferido - Lady Oonagh da Série Sevenwaters de Juliet Marillier
  • o teu mundo preferido - Como não posso repetir vou escolher o 3º lugar da minha lista de lugares preferidos Sugar Maple da série com o mesmo nome de Barbara Brentton . Ainda só li um livro mas gostei da magia que paira naquele lugar.
  • o teu “elenco” de personagens preferido - Serie Ediliean de Jude Deveraux, são personagens bem-humoradas e com peripécias engraçadas. São personagens difíceis de esquecer.

sábado, 28 de junho de 2014

[Opinião] Uma Promessa Para Toda a Vida


Uma Promessa Para Toda a Vida

Autor: Nicholas Sparks
Ano: 2013
Editora: Edições Asa
Número de páginas: 352 páginas
Classificação: 5 Estrelas

Sinopse
Para Miles Ryan, o mundo desabou no dia em que a sua mulher morreu. Missy fora o seu primeiro amor, a companheira de todos os momentos, a carinhosa mãe de Jonah, o filho de ambos. Juntos, tinham uma vida de sonho. Mas uma noite Missy saiu para correr e não voltou. Foi atropelada numa rua perto de casa. As investigações da polícia nada revelaram. Agora, dois anos depois, Miles ainda se culpa por não ter descoberto o autor do crime e Jonah, já com sete anos, vive numa imensa solidão. Mas há uma luz no seu caminho: Sarah, uma nova professora que entende a sua perda e não desiste perante as dificuldades. Ela própria está ainda a recuperar de um divórcio que a feriu de morte. Decidida a ajudar o menino, Sarah reúne-se com Miles. Desse simples encontro nascerá uma paixão verdadeira. Contra todas as expectativas, eles amam e riem de novo. Mas um segredo paira sobre o casal. Um segredo que os obrigará a questionar tudo aquilo em que acreditavam... e a fazer a escolha que mudará as suas vidas para sempre. Um dos mais ternos e intensos livros de Nicholas Sparks, Uma Promessa para Toda a Vida é uma mensagem de esperança e uma ode de amor à vida. Um romance inesquecível sobre as imperfeições do ser humano, a resistência perante a adversidade e a incomparável alegria que sentimos quando nos entregamos ao amor.

Opinião
Já há muito tempo que um livro de Nicholas Sparks não me encantava tanto. Gostei imenso do romance, do mistério, das personagens... Penso que o autor conseguiu misturar os ingredientes necessários de forma cativante e envolvente que deixa o leitor preso à história.

Relativamente às personagens, gostei muito do Miles e da forma como ele se relaciona com os outros intervenientes da história. O modo carinhoso com que cuida do filho, o jeito trapalhão nos primeiros momentos com Sarah e a sua dedicação para com a mulher falecida. A única coisa que não bate muito certo com estes elementos é a impulsividade exagerada em certos momentos cruciais. Apesar do desespero em conseguir desvendar o mistério da morte de Missy (mulher de Miles) penso que o autor poderia ter dado um pouco mais de calma e controlo à personagem.

Ao longo do livro vamos conhecendo o responsável pela morte de Missy. É um diário onde o responsável nos vai dando a conhecer o que aconteceu. Estes elementos adensam o mistério e mostra-nos uma pessoa que acabou por ser um pouco vítima. Penso que não seja muito difícil descobrir quem é. Há um acontecimento, sensivelmente a meio do livro, que dá indícios sobre quem naquela noite atropelou Missy. 

Quero destacar os diálogos entre Miles e Jonah. São cheios de sentimento e conseguem passar a boa relação entre pai e filho. 

Quanto ao final, acho que é um pouco apressado. Gostava que o autor desse um cenário mais detalhado do que aconteceu a Miles, à Sarah e ao Jonah. Não é um final muito dramático quando comparado a outros livros do autor.
Foi uma leitura que me deixou contente e que restabeleceu a minha boa relação com os livros de Nicholas Sparks. 



sexta-feira, 27 de junho de 2014

[Opinião] Ana Karenina


Ana Karenina

Autor: Leão Tolstoi
Ano: 2013
Editora: Civilização Editora
Número de páginas: 720 páginas
Classificação: 3 Estrelas

Sinopse
Ana Karenina parece ter tudo – beleza, dinheiro, popularidade e um filho adorado. Mas sente um vazio na sua vida até ao momento em que conhece o arrebatador conde Wronsky. A relação que em breve se inicia entre ambos escandaliza a sociedade e a família, e traz no seu encalce ciúme e amargura.
Em contraste com esta história de amor e autodestruição, encontramos Constantino Levine, um homem em busca da felicidade e de um sentido para a sua vida.

Opinião
Esta foi uma leitura um pouco difícil. Demorei imenso tempo a ler o livro e reconheço que esta extensão de tempo prejudicou a minha ligação com o livro. Perante esta situação, está bem claro que daqui a uns anos quero voltar a pegar neste livro e lê-lo de uma forma mais contínua e tentar absorver cada momento da sua história.

Ana Karerina é um livro complexo, cheio de temas que não deixam o leitor indiferente. Traições, amores, reflexões, com graus diferentes de intensidade e que preenchem estas páginas exaustivamente. A forma como Tolstoi dá corpo a estes temas no livro faz com que hajam partes mais cativantes, que me despertaram a atenção; mas por outro lado surgem partes que me deixaram aborrecida com a leitura, levando-me a arrastar de forma penosa ao longo das páginas.
Tolstoi também não aprofunda devidamente algumas situações, que na minha opinião são importantes. Refere-as mas não as esgota, não as esmiúça. Isto irritou-me um pouco, principalmente no que reporta a situações centrais que envolviam Ana, o marido e Wronsky. Há uma situação logo no início do livro que acontece repentinamente que nós nem nos apercebemos de onde surge tudo aquilo.
Relativamente às reflexões de Levine, estas aparecem, na minha opinião, de forma excessiva e aborrecida. Apesar de ele se dedicar muito às suas reflexões não deixa de ser uma personagem interessante.

Ao longo de todo o livro, nunca cheguei a clarificar a minha opinião em relação a Ana. Não a odiei, mas também não consegui adorá-la. Ficou assim num misto de sentimentos entre o tolerar e a indiferença. É uma mulher que, apesar das suas imensas qualidades físicas e financeiras, apresenta fragilidades psicológicas (insegurança, insatisfação extrema). Uma mulher que pensa nela e no seu bem-estar que quase ignora os que estão à sua volta. Só notei preocupação genuína para com o filho Sérgio. Perante este quadro, acho que o final desta personagem se enquadrou perfeitamente com as características psicológicas que ela ia evidenciando. Infelizmente foi mal explorado. Merecia um maior destaque. 

Em relação às outras personagens quero apenas destacar a evolução de Kitty. Foi uma personagem que se modificou positivamente ao longo do livro de uma forma bastante positiva. Cresceu e encontrou o seu verdadeiro lugar no mundo.

Ainda não foi desta vez que solidifiquei o meu gosto pelos clássicos, mas quem sabe se daqui a uns tempo voltar a ler este livro não olho para ele com outros olhos.

E para terminar a minha opinião quero apenas AGRADECER IMENSO À CATARINA R. por me ter oferecido o livro. Fiquei muito sensibilizada com o gesto, e não estava nada à espera. Consegui surpreender-me e emocionei-me bastante. O engraçado e o bom da vida é que quando menos esperamos cruzamos-nos com pessoas fantásticas. Eu sinto-me uma sortuda neste aspecto. E à falta de melhores palavras para agradecer o gesto resta-me apenas uma única palavra: Obrigada!!!

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Palavras Memoráveis

(imagem retirada daqui)

- Um dia, quando formos velhos e casados, vamos voltar a este mesmo lugar e relembrar-nos deste Verão?
- Como sabes?
Ele olhou para ela.
- Que nos vamos lembrar?
- Não. - Ela sorriu. - Que me vou casar contigo.
- Isso é fácil. - Ele olhou para ela e encolheu os ombros. - Nunca irás encontrar alguém que te ame como eu.
Karen Kingsbury, Cartas da Nossa Paixão

[Opinião] O Intruso


O Intruso

Autor: Carina Rosa
Ano: 2012
Editora: Chiado Editora
Número de páginas: 190 páginas
Classificação: 2 Estrelas

Sinopse
Sara é uma mulher deprimida e atormentada por um passado trágico. A casa que outrora pensara ser um refúgio contra as lembranças de uma vida que desejava esquecer, é agora um antro de sombras que a perseguem.
O reencontro com Martim, um rosto que lhe é de alguma forma familiar, de um passado longínquo, provoca-lhe uma avalanche de sentimentos que poderão mudar a sua vida para sempre. Mas o passado nunca poderá ser apagado e Sara vê-se obrigada a tomar decisões que podem fazer a derradeira diferença ente a vida e a morte.
Poderá Martim salvá-la de uma realidade que foge ao seu alcance? Ou poderá afundá-la ainda mais naquele poço sem fundo, em que não há saída possível, senão a morte?

Opinião
O Intruso foi o primeiro livro publicado pela a autora Carina Rosa e é o 4º que leio da autora. O facto de ter começado por ler os livros mais recentes permite-me ter uma noção bem clara do quanto a Carina já evoluiu. Posso dizer que se nota uma boa evolução na sua escrita, na forma como descreve os acontecimentos e na forma como dá corpo às personagens. 

Relativamente a este livro, quero referir que gostei da ideia que serve de base à construção da história. Porém, a forma como essa ideia foi operacionalizada deixou-me insatisfeita.
O que faltou?

Personagens
  • Melhor caracterização emocional das personagens. 
  • Clarificação das relações estabelecidas (mais diálogos e mais situações de interacção).
Narrativa
  • Melhor exploração dos acontecimentos - há situações descritas no livro que deveriam ter sido mais exploradas. Acontecia tudo demasiado depressa que não deixava tempo para que as personagens crescessem e para que o leitor se sentisse mais envolvido com tudo aquilo que o livro nos tem para oferecer.
  • As analepses aparecem de uma forma que, por vezes, deixa o leitor um pouco confuso.
  • Incongruências temporais - no final do livro dá a sensação que o presente da Sara é diferente do Martim, ou seja, na mesma altura um está num mês enquanto que o outro já está num outro mês, mas a autora dá a sensação que os dois estão no mesmo "espaço" temporal.
Apesar destes pequenos pormenores, é um leitura agradável e que consegue prender o leitor à escrita e à história. Consegue manter o curiosidade no leitor em relação a uma explicação para tudo aquilo o que faz com que se avance rápido na leitura.
Relativamente ao final foi diferente daquele que eu tinha pensado, mas gostei e fiquei curiosa por saber mais. Carina, nunca pensaste em dar continuidade ao livro? 

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Palavras Memoráveis

(imagem retirada daqui)


A vida não era tanto como uma pessoa queria mas mais conforme as circunstâncias.


A maldade é a característica mais perene do ser humano. 

Tiago Rebelo, O último ano em Luanda

terça-feira, 24 de junho de 2014

Top Ten Tuesday | Elementos que gosto de ver nas capas de livros

Esta semana o Top Ten quer a nos dediquemos as capas. Poderíamos fazer um top ten de elementos que gostamos, de elementos que não gostamos de ver nas capas de livros ou ambos os tópicos. Eu decidi fazer apenas sobre os elementos que gosto de ver em capas. Espero que gostem.

10 elementos que gosto de ver nas capas
  1. Flores
  2. Crianças
  3. Diferentes planos/perspectivas
  4. Relevo nos títulos
  5. Uma boa mistura de cores
  6. Animais
  7. Imagens abstractas
  8. Neve
  9. Objectos que estejam relacionados com a história
  10. Árvores

[Opinião] Porque sim



Autor: Daniel Sampaio
Ano: 2009
Editora: Editorial Caminho
Número de páginas: 160 páginas
Classificação: 3 Estrelas

Sinopse
Família. Escola. Política.
Porquê? Porque sim. Pois, como diz o autor, «continuo a acreditar que vale a pena participar e que o caminho estará na atenção aos sentimentos do outro e à possibilidade de nos reconectarmos a todos os níveis. Num momento em que se privilegia a socialização à distância pela Internet, nunca é demais salientar a importância de criar proximidade com quem está ao alcance do nosso olhar, num movimento renovado de criação de laços afectivos tanto quanto possível duradouros».

Opinião
Porque Sim é um livro que reúne um conjunto de crónicas escritas por Daniel Sampaio para uma revista. Os principais temas das crónicas são: a família, a escola e a politica.

Para quem não sabe, Daniel Sampaio é psiquiatra e dedica o seu trabalho terapêutico a intervir junto de crianças/jovens e famílias. Tem formação em Terapia Familiar e durante os meus dois anos de mestrado, as suas obras foram uma referência para mim. Por esta razão, não é o primeiro livro que leio dele. Já li livros mais técnicos e livros mais dirigidos ao público em geral. Este livro enquadra-se na última categoria.

Sempre gostei de ler as suas reflexões acerca do sistema familiar e da forma de intervir junto de jovens e das suas problemáticas. Este livro levou-me, mais uma vez, a reflectir sobre alguns aspectos relacionados com a vida familiar na actualidade e as mudanças produzidas ao nível da comunicação em família e dos laços que os membros vão construindo entre si.
No capítulo dedicado à escola, Daniel Sampaio alerta para as fragilidades que comprometem a "saúde" escolar e leva o leitor a reflectir em formas mais eficazes de melhorar estas fragilidades.
Por fim, no capítulo dedicado à política retiro um aspecto levantado pelo autor que está bastante actual: o desinteresse pela vida política que leva a que a abstenção seja a grande vencedora de muitas eleições.

domingo, 22 de junho de 2014

[Divulgação] Antologia "Na Sombra das Palavras"

Capa_reveal 
Título:Na sombra das palavras 
Autores: Ângelo Teodoro | David Camarinha | Fábio Ventura | João Ventura | Mário Seabra 
Disponível a partir de: 5 de Julho de 2014 
36 páginas | Versão em papel e digital

add-to-goodreads

Sinopse
“Na Sombra das Palavras” reúne cinco contos de autores portugueses, combinando thriller e fantástico em histórias de amor, memórias esquecidas e encontros com a Morte e Deus. As palavras transportam o leitor para labirintos, panópticos, livrarias e memórias longínquas. Com contos da autoria de Ângelo Teodoro, David Camarinha, Fábio Ventura, João Ventura e Mário Seabra.

Sobre os autores
Ângelo Teodoro nasceu em Torres Vedras, no ano de 1978. Licenciou-se em Psicologia, na área de clínica. Direccionou o seu percurso profissional para a área de formação e educação e coordenação de projectos de desenvolvimento local.

David Camarinha, nascido em 1986 em Vila Nova de Gaia, vive ainda na sua casa de infância, acompanhado dos quatro gatos e a cadela Luna. Licenciou-se em História no Porto e está a finalizar o Mestrado em Marketing em Aveiro. Prefere a leitura à escrita.

Fábio Ventura nasceu em 1986 em Portimão, onde vive e trabalha como livreiro. É autor dos livros “Orbias-As Guerreiras da Deusa” e “Orbias-O Demónio Branco”.

João Ventura gosta de escrever microcontos, mas às vezes saem-lhe estórias um pouco maiores... O que tem escrito está na Web e em algumas antologias...
O seu terreno preferido é a área do fantástico, mas não se preocupa muito com rótulos.

Mário Coelho tem 23 anos, grande parte deles passados a rabiscar ideias em papel ou a martelá-las no teclado. Escapuliu-se por um portão e hoje dá sinal de vida em Coimbra, no mestrado de Tradução. Nos tempos livres gosta de se arrepender dessa decisão e de escrever romances em que bebés morrem.

Mais informações no site da Editorial Divergência




sexta-feira, 20 de junho de 2014

[Opinião] Cartas da Nossa Paixão


Cartas da Nossa Paixão

Autor: Karen Kingsbury
Ano: 2013
Editora: Topseller
Número de páginas: 320 páginas
Classificação: 3 Estrelas

Sinopse
Um romance belo e sofrido que prova que as histórias de amor merecem o milagre de uma segunda oportunidade. Ellie Tucker e Nolan Cook são mais do que amigos.
Apesar de terem apenas quinze anos, ele repete-lhe constantemente que ela nunca irá encontrar alguém que a ame tanto. Mas uma tragédia familiar obriga Ellie partir subitamente. Na véspera desse dia triste, ela e Nolan sentam-se sob o velho carvalho do parque onde partilharam tantos momentos felizes e escrevem uma carta um ao outro, que enterram numa caixa de metal enferrujado. Combinam regressar exatamente onze anos depois, e lerem em conjunto as duas cartas. Passaram os anos e os dois nunca mais se encontraram. Ellie tem hoje vinte e seis anos e é mãe solteira, lutando diariamente para sustentar a sua filha. Nolan conseguiu realizar o sonho de se tornar jogador de basquetebol e é uma famosa estrela da NBA. Mas desde o dia em que o pai sucumbiu a um ataque cardíaco, Nolan sofre com a solidão. Afogado num oceano de dor, pensa frequentemente em Ellie, a paixão da adolescência que nunca esqueceu, e na inocência da infância que partilharam. À medida que se aproxima a data, Ellie e Nolan sonham com o reencontro sob o velho carvalho. Mas será que, onze anos depois, ainda há alguma hipótese de serem felizes?

Opinião
Li este livro em dois dias. Sim, tenho lido compulsivamente desde domingo (4 de Junho) e penso que esta minha "fome" pela leitura se deve ao facto de, durante mais de dois meses não ter terminado um único livro físico e ter lido muito pouco nos últimos tempos.
Esta minha abstinência literária fez-me desejar ler um dos géneros que mais gosto, Romance Contemporâneo, e atacar o livro como se não houvesse amanhã. E assim foi!

Cartas da nossa paixão é o primeiro livro que leio da autora Karen Kingsbury e se por um lado fiquei com vontade de ler outros livros da autora, houve um aspecto do livro que me deixou com reservas. Irão perceber quando eu apontar os aspectos negativos do livro.

O livro começa com a adolescência de Ellie e Nolan. Dois adolescentes que partilham uma bonita amizade. Uma amizade que é mais do que isso. Confesso que este amor que nasce da amizade, do companheirismo, da partilha me encanta muito mais do que as paixões instantâneas produzidas por um primeiro encontro, originando o tão falado amor à primeira vista. Pessoalmente, não me faz muito sentido porque, para mim, para se amar outra pessoa ter de haver um certo grau de partilha. Bem... passando ao livro, estes dois jovens vêem a sua amizade interrompida devido a uma tragédia familiar e são obrigados a afastar-se. Na sua última noite juntes decidem escrever uma carta um ao outro, enterrá-las num lugar especial para ambos e combinaram lê-las daí a onze anos. E assim começa uma verdadeira aventura de separação que irá culminar de uma maneira especial.

Gostei da Ellie e do Nolan. Os anos e as circunstâncias tornaram-nos pessoas diferentes, mas o elo que os unia manteve-se firme e o leitor consegue sentir isso. É fácil nos apaixonar-mos pela história, é fácil sentirmos o peso das saudades que consomem Ellie e Nolan, é fácil nos deixarmos invadir pela emoção que vai acompanhando a evolução diária das personagens. Porém, a autora abusa nas referência religiosas e acaba por atribuir a Deus a responsabilidade de tudo aquilo que as personagens vivem. Confesso que isto me irritou um pouco ao longo do livro. Por vezes, dava  a sensação que as personagens não tinham vontade própria e que tudo se iria resolver pelas mãos de Deus.

Ao longo do livro ansiei pelo reencontro entre Ellie e Nolan (ainda fui espreitando umas páginas à frente para tentar descobrir o que se ia passar), mas não foi tão intenso como eu esperava. Eu estava à espera de um pouco mais de emoção no reencontro, mais diálogo, mais silêncios partilhados. Foi apressado! A autora não deixou espaço para que as emoções de um reencontro tão esperado surgissem.

Foi uma leitura agradável, mas pouco marcante. Sinto que daqui há algum tempo me vou esquecer da história.

Deixem-se invadir pelas palavras e boas leituras! 

Maratonas Viagens (In)Esperadas (6) | Desafio 1


Que livros pretendes ler na maratona?

Antes de apresentar aqui o meu plano, o meu grande objectivo é ler mais páginas do que as duas últimas maratonas. A de Maio já foi ligeiramente melhor do que a de Março, mas ambos os resultados foram péssimos. Por isso quero que nesta maratona consiga ler mais páginas do que em todas as maratonas anteriores, ou seja tenho de ultrapassar o meu melhor resultado que foi 695 páginas em na maratona de Fevereiro. 

Que é que eu vou ler?

Terminar o e-book: Sozinhos na ilha de Tracey Garvis Graves
Sozinhos na Ilha

Para ler tenho:
Provocadora de Madeline Hunter
Dias de ouro de Jude Deveraux
Lições de Desejo de Madeleine Hunter

Provocadora (The Rarest Blooms #2)Dias de Ouro (Edilean, #2)Lições de Desejo

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Palavras Memoráveis

(imagem retirada daqui)

Agora podes ir. Amanhã já vou ter contigo. Quero dormir. Tenho um sonho para acabar.

Maria Tereza M. Gonzalez, O Guarda da Praia

terça-feira, 17 de junho de 2014

Top Ten Tuesday | Lista de livros para ler no Verão



Esta semana o Top Ten Tuesday convida-nos a eleger a lista de livros da nossa TBR para ler no Verão.

Antes de iniciar a minha lista de Verão, decidi recuperar a minha lista da Primavera para ver até que ponto cumpri a lista.

Sendo assim, a minha lista para a Primavera de 2014 era:

  1. Anna Karenina de Leão Tolstoi
  2. Mil noites de paixão de Madeleine Hunter
  3. Orgulho e Preconceito de Jane Austen
  4. Porto Seguro de Danielle Steel
  5. A pousada do fim do rio de Nora Roberts
  6. A filha da profecia de Juliet Marillier
  7. Nunca digas Adeus de Lesley Pearse
  8. A cabana de William Paul Young
  9. Dias de Ouro de Jude Deveraux
  10. Pensa num número de John Verdon
(vermelho - livros não lidos, verde - livros lidos, roxo - leituras actuais)

Como podem ver da minha lista de Primavera li apenas 1 livro completo e tenho dois em leitura actual que espero acabar antes do início da nova estação. Partindo deste péssimo resultado, irei elaborar a lista dos livros a ler no Verão onde irão constar alguns da lista da Primavera.

Os livros que quero ler durante o Verão de 2014

1. Tudo se perdoa por amor de Patricia Scanlan
Tudo Se Perdoa Por Amor

 2. Provocador de Madeleine Hunter
Provocadora (The Rarest Blooms #2)
3. Tatiana de Paullina Simons
Tatiana  (The Bronze Horseman, #2)

4. Orgulho e Preconceito de Jane Austen

5. O outro amor da vida dele de Dorothy Koomson 
O Outro Amor da Vida Dele

6. A Cabana de William Paul Young
A Cabana

7. A Filha do Capitão de José Rodrigues dos Santos
A Filha do Capitão

8. Mil noites de paixão de Madeleine Hunter

9. Vidas Trocadas de Sarah Brown
Vidas Trocadas

10. Lições de Desejo de Madeleine Hunter
Lições de Desejo

Vamos lá ver se consigo ler estes livros no Verão que se aproxima.
E  vocês que livros têm para ler na estação que se aproxima?

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Maratonas Viagens (In)Esperadas (6) | Divulgação


A Maratona de Junho já está marcada e já tem tema definido.

Esta decorrerá desde as 00:00 do dia 21 DE JUNHO (SÁBADO) até às 23:59 do dia 29 DE JUNHO (DOMINGO).

Grande parte da actividade destas maratonas dinamizadas por mim e pela Catarina R. do blog Sonhar de Olhos Abertos (de momento offline) decorre num grupo do facebook criando para o efeito. Caso queiram  aderir ao grupo basta clicarem aqui).

O tema desta maratona será  Sagas/Séries de livros.

Como já é hábito, serão muitos os desafios que eu e Catarina teremos para vocês e graças à simpatia da Marisa Luna (http://simplesmentemarisa.blogspot.pt/) teremos um prémio para sortear entre os participantes do desafio. MUITO OBRIGADA, Marisa!!

44ª Maratona Goodreads | Balanço

Maratonas Literárias

Finalmente, consegui retomar o meu ritmo normal de leituras e os resultados desta maratona já se revelaram mais satisfatórios.

Um dos meus objectivos era terminar o livro Ana Karenina, mas não consegui... Mas eu sou teimosa e hei-de chegar ao fim.

Ficam aqui os meus resultados:

Continuação do livro

Ana Karenina de Leão Tolstoi - 123 páginas (li da página 488 até à páginas 611)

Livros Terminados 

O Intruso de Carina Rosa - 190 páginas

Uma promessa para toda a vida de Nicholas Sparks - 352 páginas

Livro Iniciado
Porto Seguro de Danielle Steel - 110 páginas

Total: 775 páginas

*********************************************************************************
Resultados anteriores
41ª Maratona - 396 páginas
42ª Maratona - 853 páginas
43ª Maratona - 359 páginas





sábado, 14 de junho de 2014

Especial Criança | TAG - Os livros Smurfados


Penso que nunca o disse aqui no blog, mas eu sou uma "smurfanática". Adoro estes pequenos bonequinhos azuis, que antes de antes de andaram a "smurfar" andaram a "estrunfar". Portanto, eu passei de uma "estrufafã" para uma "smurffã" (desculpem o vocabulário novo, mas não consegui evitar). 

Para reanimar o meu mês especial dedicado às Crianças e como os Smurfs me levam ao lado mais encantado da infância decidi fazer uma pequena (grande) TAG, associando os livros a estes simpáticos bonecos.

É uma TAG muito simples (não tive tempo para me alongar mais) e que consiste em associar um livro às características de um Smurf (obviamente não vou colocar todos se não nunca mais sairia daqui). Após as explicações, sintam-se livres para levar esta TAG (sim podia ser mais original, mas é o que se pode arranjar) e responder nos vosso cantinhos. "Smurfescrevam" os links nos comentários para que eu posso "smurfcuscar" as vossas respostas! Bora lá, smurfar livros? 

Smurfina 
A única Smurf feminina, foi criada por Gargamel como um plano de atrair os Smurfs para uma armadilha. Indica o livro que consideras único e insubstituível na tua estante (pode ser pela capa, pela história, ou por conter um significado especial para vocês). 


Tenho vários, é certo, mas este (tal como os restantes livros da colecção) nunca irá abandonar a minha estante. Os motivos são: pela beleza da capa, pela história fantástica que nos oferece e pelo facto de ter sido um prémio de um desafio literário (um conto escrito por mim deu-me a possibilidade de conseguir esta belíssima colecção).

Génio
Smurf estudioso e inventor, indica um livro onde aprendeste algo que consideras útil para a tua vida.

Filhos do Abandono

Eu aprendo imenso sempre que leio os livros da Torey. A menina deste livro, a Cassandra mexeu comigo e com as minhas emoções, mas a forma como a Torey trabalhou com ela transmitiu conhecimentos que considero úteis no trabalho com crianças. 

Smurf Preguiçoso
Este smurf passa a vida a dormir, indica um livro que te aborreceu ao ponto de queres marcar um encontro sério com a preguiça. 
Ao Anoitecer

Ao anoitecer é um dos piores livros que já li em toda a minha vida. "Odiei de coração" este livro. Uma história confusa e pouco cativante, que bastava ler umas linhas para que a preguiça chegasse em forma e me "smurfasse" toda a vontade que tinha de ler. 

Smurf Chorão
Um smurf que chora muito, indica o livro que tens na memória como aquele que mais te fez chorar.

Sou de lágrima fácil com livros dramáticos, com livros que mexam com sentimentos e com aspectos da condição humana. Dezanove Minutos "smarfou-me" a alma de uma maneira que não estava à espera. Andei com um nó na garganta durante vários momentos do livro e tantos outros as lágrimas chegavam sem aviso prévio. Um livro em que não consegui odiar o "criminoso" e escrever este criminoso entre aspas porque, ao mesmo tempo, para mim foi uma grande vítima. Um livro que acho que todos deveriam ler... Um livro que deveria saltar para as mesas das escolas, para alunos adolescentes, para uma grande reflexão em torno dele. Um dos melhores livros que já li na vida.

Grande Smurf
O chefe da vila dos Smurfs que conhece alquimia melhor que Gargamel. Indica o maior livro da tua estante

Foto: Grande Smurf:  "Não importa de onde viemos. O que importa é quem escolhemos ser."O Grande Amor da Minha Vida (O Cavaleiro de Bronze, #1)

Este é maior livro que habita na minha estante. Tem 688 páginas e é o meu grande smurf.

Smurf Trapalhão 

Este smurf passa a vida a meter-se em confusões, quase sempre sem querer. Indica um livro com uma personagem trapalhona. 
Foto: Cuidado! O Smurf Trapalhão está a olhar para ti...Uma Promessa Para Toda a Vida

Fartei-me de rir com o Miles e com o seu jeito trapalhão de lidar inicialmente com a Sarah. Facilmente se atrapalhava com as palavras e acabava por dizer aquilo que não devia dizer. O Miles é uma personagem muito complexa que se vai metendo em grandes "trapalhadas" ao longo do livro, mas enquanto que umas nos fazem sorrir, outras deixam-nos a pensar mas o que é que tu estás a fazer? Vais dar cabo da tua vida.

Espero que se tenham "smufdivertido" com esta "smuftag". Sei que haviam mais Smurfs para explorar, quem sabe se não farei uma segunda edição. 
Espero que "smurfem" muitos livros durante o fim-de-semana e que fiquem a "smurfar" por mais tags destas.

Boas leituras!