terça-feira, 30 de junho de 2015

Top Ten Tuesday | Lista de livros para ler no Verão de 2015


Já não publico um Top Ten Tuesday há uma eternidade. Este tema já é de há duas semanas, mas como há pouca vontade e pouco tempo para cá vir, só hoje me dediquei a fazê-lo, e tudo isto porque gosto de listas e preciso de me motivar para ler nos meses de Verão que estão pela frente. 

Fica aqui a minha lista.

  1. Reflexos num olho dourado (Carson MacCullers)
  2. A vida na porta do frigorífico (Alice Kuipers)
  3. As cinquenta sombras de Grey (E. L. James)
  4. Um estranho caso de culpa (Harlan Coben)
  5. Revelação Inesperada (Andrea Kane)
  6. A troca (David Lodge)
  7. Espero por ti em Paris (David Marle)
  8. Eragon (Christopher Paolini)
  9. Preciso de ti: perturbações psicossociais em crianças e adolescentes (Pedro Strecht)
  10. Os dias do avesso (Eduardo Sá)

domingo, 28 de junho de 2015

Opinião | O piano surdo


Piano Surdo



Autora: Olinda Gil
Ano: 2013
Número de páginas: ebook
Classificação: 3 Estrelas
SinopseAqui
Conto gratuito: Aqui




Opinião
Este é o terceiro trabalho que leio da Olinda e é, até ao momento, aquele que mais gostei.
Na minha opinião, a autora consegue imprimir um toque dramático que nos faz ficar presos à história e à vida de um mulher que tem de se adaptar à sua nova realidade.

O toque de loucura que resulta de um enorme sofrimento está bem documentado. É fácil sentirmos o desespero, a tristeza, a revolta de alguém que deixou de ouvir o som do piano que tanto a fazia feliz.

Para mim, este conto tem potencial para se transformar em algo mais extenso. A temática é interessante e intrigante, e uma nova exploração possibilitaria ao leitor um maior conhecimento das personagens o que permitiria um maior envolvimento com a história. 

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Palavras Memoráveis


Livro: O nó do amor
Elizabeth Chadwick

Depender dos outros era uma forma perigosa de se viver, e, frequentemente, uma perda de tempo.

Se há pedras no teu caminho, então terás de as afastar ou encontrar uma forma de as contornar caso contrário, mais vale que fiques onde estás.

Se fosse possível que os desejos magoassem as pessoas, então não restaria ninguém neste mundo.

Queria agarrar aquele momento, fixá-lo na memória, congelá-lo num feitiço.

domingo, 21 de junho de 2015

Projeto Conjunto | Empréstimo Surpresa [Desafio]


Já ando a dever a resposta deste desafio à Denise, há muito tempo. Por isso aqui vai ele, com um enorme pedido de desculpas.

A Denise, tem sido uma querida comigo. Para além de muito apoio emocional e logístico (obrigada por me leres tudo, mesmo quando te pessoa em cima da hora), facilita-me a tarefa nestas coisas dando-me desafios mais simples e rápidos de se fazer. Por isso muito obrigada. :)

O livro em causa é o seguinte:
A Ilha dos Desencontros

O desafio foi muito engraçado. Era uma sopa de letras, com dois momentos distintos: primeiro, encontrar as palavras e depois escrever um bocadinho sobre eles. Fica aqui a imagem. 
1. Escrita
Uma escrita simples e perceptível. 

2. História
Confusa... Bastante confusa no início, aliás! A constante alternância entre passado e presente, sem uma indicação para o leitor torna a história muito confusa. No início, quando ainda não percebemos a mecânica da história é horrível e bem mais difícil. Depois lá nos vamos acostumando, mas mesmo assim é complicado.
Outra coisa que não percebi foi a ligação entre a história do passado e a história do presente.

3. Personagens
Já li o livro há algum tempo e confesso que já me esqueci das personagens. Por isso, posso dizer que não houve uma que fosse suficientemente marcante para permanecer em mim. 

4. Citação
Retirei algumas citações do livro, mas deixo aquela que, para mim, tem mais significado. De facto, muitas vezes, uma boa história nem sempre consegue aliviar a dor que se enraíza dentro de nós e nos consome todas as emoções positivas.

Penso na dor que as histórias não conseguem aliviar, nem quando mil vezes contadas.

5. Recomendação
Ler este livro com muita calma e atenção. Sem atenção é fácil confundirmos todos os acontecimentos. 

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Ponto de situação

Como deu para perceber pelo post anterior as coisas não têm estado fáceis para este lado. Provavelmente, muitos dos meus leitores já mudaram para outras paragens... Sinto muito, mas nem sempre nos sentimos dispostos a vir aqui e partilhar coisas. Há dias, semanas, meses complicados. 

Por diversas vezes me questionei se faria sentido continuar com o blog e ligada às questões literárias como as leituras beta e aos projetos que tenho aqui pela blogoesfera. 
Muito sinceramente, não me consegui decidir. Talvez esta indefinição seja devida ao meu signo, balança, que anda constantemente na busca do equilíbrio. Porém, como é que eu hei-de encontrar equilíbrio se me tenho sentido completamente desequilibrada??? É certo que gosto de um certo desequilíbrio, porém não consigo reunir forças que me façam vir aqui mais regularmente. 
Quanto às leituras beta, este ano já fiz três... É algo que eu gosto muito de fazer, dá-me um imenso prazer e acho que até sou bem sucedida na tarefa, mas a minha auto-estima não tem andado nos melhores dias e então, questiono-me se valerá a pena continuar a fazer e se vou continuar a fazer com qualidade. Bem... Dúvidas existências que se vão manter durante uns tempos, é o mais certo. 

Decidi escrever este post para fazer um ponto de situação das minhas leituras e dos projetos em que participo. 

Empréstimo Surpresa
Neste momento ainda estou em falta com a Denise no que toca à resposta ao desafio do livro A ilha dos desencontros de Anita Shreve. Assim como ainda não escrevi a opinião. Espero, em breve, responder pelo menos ao desafio.

Português no Feminino
Tenho conseguido cumprir com este projeto. Nem sei bem a quantas anda a Marta (desculpa pela minha terrível ausência), eu tenho lido um por mês. É certo que tenho apostado nos contos quando me vejo mais carregada de trabalho, como foi o caso deste mês. Assim:
  • Em Abril li Piano Surdo de Olinda Gil.
  • Em Maio li Escrito nas Estrelas de Bárbara Norton de Matos.
  • Em Junho li Prisão de Gelo de Adeselna Ferreira. 
É claro que me faltam escrever as opiniões, classificá-las no goodreads (agora só coloco a classificação depois de escrever a opinião) e atualizar o quadro do projeto.

Mealheiro Literário
Não está atualizado, mas até ao momento tenho saldo positivo. Ainda não comprei um único livro. 

Desafios literários
É algo que tenho de atualizar, não tenho qualquer tipo de noção como está a ser o meu desempenho nos ditos cujos.

Clube de Cinema
Recentemente juntou-se ao grupo a Chris, do blog e canal Diário da Chris e eu sou a que está mais atrasada e a prejudicar o avanço das coisas. Temos filmes escolhidos para Abril e Maio, mais eu ainda não vi nenhum deles. Para Abril escolhemos o Road to Predition e para Maio, o eleito foi Amour.

Leituras
Estas têm conhecido dias melhores e dias piores... Tudo depende do meu estado emocional e físico.
Até ao momento tenho 7 opiniões em atraso, Para além dos contos e livro do Português no Feminino tenho: 
  • Observações Jane Harris.
  • A ilha dos desencontros de Anita Shreve.
  • Pousada no fim do rio de Nora Roberts.
  • Infância Perdida de Cathy Glass.
Atualmente, ando com uma leitura que já se arrasta à duas semanas que é A sombra do vento de Carlos Ruiz Zafón. Esta a ser uma leitura demasiado lenta o que tem dificultado a minha ligação com a história.

Tenho, também, TAGs em atraso (acho que são duas, já nem sei bem) que me foram gentilmente passadas pela Isaura do blog Jardim de mil folhas. Mais uma pessoa a quem devo um pedido de desculpas. 

Espero ganhar forças para voltar em força aqui ao blog! Caso elas não cheguem, tenho de ponderar a continuidade do mesmo. 
Obrigada a todos os meus leitores. 

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Palavras Memoráveis


Livro: Mil noites de paixão
Madeleine Hunter

Ela experimentou a sensação desconfortável de que outra mente acabava de invadir a sua e colhera instantaneamente tudo aquilo que precisava de saber.

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Projeto Conjunto | Empréstimo Surpresa [Os motivos]

´Devem estar a pensar que eu desapareci... Têm levado com posts agendados de frases de livros e nada de novidades, opiniões, textos diversos... Ando uma nódoa no que toca ao blog e a outros aspetos. Ando desmotivada com o blog e com a vida em geral. Ando absorvida com outras coisas e extremamente casada. Há dias que não consigo obrigar os meus neurónios a pensar mais.


O problema deste meu estado de espírito cinzento é que fico em falta com diversas pessoas. Fico em faltas com as minhas amigas literárias com quem tenho projetos. Desta forma quero pedir uma enorme pedido de desculpas à Denise do blog Quando se abre um livro, pelos atrasos e falhas do nosso projeto conjunto. À Marta do blog I only have , à Catarina do blog Sonhar de olhos abertos e à Chris do blog Diário da Chris (que recentemente se juntou a nós no clube de cinema) por ainda não ter visto os filmes e andar completamente desligada. As minhas desculpas, meninas.

Desculpas pedidas, passo ao assunto que me fez escrever este post: Empréstimo Surpresa. 


Neste imenso tempo que passou eu já terminei a leitura do livro que a Denise me enviou, estou em falta na realização do desafio e na escrita da opinião. Porém, para não ficarmos paradas no tempo, eu envie-lhe um novo livro para ela ler.

O eleito foi:
A vida na porta do frigorífico
de Alice Kuipers
A Vida na Porta do Frigorífico

Quais os motivos que me levaram a enviar este livro à Denise:
  1. Eu ainda não li este livro! Fiquei desiludida quando o folheei, porque estava à espera de encontrar mais texto. Por isso, ando à procura de opiniões que me convençam a pegar nele. Espero que seja a da Denise.
  2. Ao olhar para o livro, pensei logo no desafio... E por questões práticas e de tempo, nem pensei duas vezes e troquei este livro pelo outro que estava a pensar enviar. (Vergonhosamente, o desafio não saiu como eu o havia idealizado).
Vamos ver quais as impressões da Denise!!!

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Palavras Memoráveis


Livro: Danças na Floresta
Juliet Marillier

Quando um homem diz confia em mim, é sinal que não deves. Confiar nele, quer dizer. A confiança é uma coisa que não precisa de palavras.

Sempre acreditei que devíamos atirar com as coisas más para trás das costas... não para as esquecer, antes para aprendermos com elas e seguirmos as nossas vidas. 

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Palavras Memoráveis


Livro: O pacto
Jodi Picoult 

A cabeça é uma coisa extraordinária. O facto de não conseguires ver a ferida não quer dizer que ela não doa. Deixa sempre uma cicatriz, mas cura-se.


E é isso que acho que é o amor. Quando conhecemos perfeitamente alguém, e apesar disso não queremos mudar nada.


Quando amamos alguém, deixamos que essa pessoa cuide de nós.


E fazia amor com ela, oferecendo o corpo com ternura e raiva, sem saber bem qual a melhor maneira de lhe dar pedaços da sua alma para que ela pudesse remendar a sua com eles.


Quando estamos com uma pessoa ao longo de toda a vida, não conseguimos imaginar viver num mundo em que ela não esteja presente.