segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Dia do blog

Foi através do facebook que descobri que hoje era o dia do blog! 
Este é o meu único blog até ao momento. Nunca criei outro nem nunca desisti deste (mas já esteve abandonado por diversas vezes ao ponto de ganhar teias de aranha). 

A criação do blog surgiu numa altura em que estava a precisar de ocupar o meu tempo com outras coisas. Foi numa fase em que voltei às leituras e comecei a explorar os blogs sobre livros. E foi assim que surgiu a vontade de criar um blog onde eu pudesse partilhar as minhas leituras. 

90% deste blog é preenchido por conteúdos relacionados com livros, mas ao longo destes quase 4 anos procurei inovar e trazer outras coisas. Nem sempre fui bem sucedida, é um facto. 

Eu gostava de trazer coisas novas para o blog... Mas 2015 está a ser um ano difícil e a imaginação e criatividade não têm abundado para estes lados. 

Por isso, apelo aos meus leitores! Se houver alguma coisa que gostassem de ver melhorada ou abordada aqui pelo blog deixem as vossas sugestões em comentário. 

Agora deixo aqui uma lista de alguns blogs que gosto de ir acompanhando:

Quando se abre um livro
(http://quandoseabreumlivro.blogspot.pt/)

The Mistery's Garden
(http://themisterysgarden.blogspot.pt/)

Café & Divagações
(http://cafeedivagacoes.blogs.sapo.pt/)

A mulher que ama livros
(http://amulherqueamalivros.blogs.sapo.pt/)

The fond reader 
(https://thefondreader.wordpress.com/)

Cantinho da Neptuno
(http://cantinhodaneptuno.blogspot.pt/)

Existem outros tantos... Que sempre que vejo que foi publicado algo de novo procuro ler o que por lá escrevem. 

Deixei para o fim algo que, para mim, é o mais importante.
Já várias vezes publiquei aqui o quanto os blogs me aproximaram de outras pessoas que têm sido fantásticas. Os blogs permitiram-me "conhecer" pessoas de quem eu guardo um grande carinho e por quem tenho o maior respeito. Tenho pena de serem poucas aquelas que eu conheço pessoalmente!
Não vou mencionar nomes, porque essas pessoas sabem quem são. A elas o meu enorme obrigada pelo apoio nos momentos mais complicados... Obrigada pelas conversas no skype, no facebook, no chat do gmail... Obrigada pelos empréstimos de livros que me têm permito descobrir outros mundos.
Obrigada!!!!

domingo, 30 de agosto de 2015

Opinião | As cinquenta sombras mais negras (Fifty Shades #2)


As Cinquenta Sombras Mais Negras (Fifty Shades, #2)

Autora: E. L. James
Ano: 2012
Número de páginas: 576 páginas
Classificação: 1 Estrelas
Sinopse: Aqui

Opinião
Sempre pensei que a qualidade dos livros de um escritor fossem melhorando à medida que o escritor fosse escrevendo. E. L. James veio mostrar-me o inverso.
Achei este livro pior do que o anterior por diversos motivos. Anastasia regrediu em termos de personalidade (nunca pensei que tal coisa fosse possível). Sempre que li sobre as atitudes dela via uma adolescente de 15 anos a quem foi dada uma novidade aliciante. Não é uma mulher inteligente, muito menos desafiante e misteriosa ou com capacidades para despertar o interesse nos outros. É tão oca e vazia que em mim apenas despertou indiferença. 

Pensei que a autoria iria criar mais suspense e mais história no início do livro, tendo em conta o final do livro anterior. Aquilo que eu esperava era um afastamento mais significativo e longo de Anastasia e Grey. Mas o afastamento ocupou meia dúzia de parágrafos chorosos e pouco convincentes. Os neurónios de Anastasia transformaram-se em células dependentes de actividade sexual proporcionada pelo seu "cinquenta sombras" e por isso não aguentou muitas horas consigo mesma. Ou seja, estamos perante uma personagem vazia, sem interesses abrangentes e que não consegue evoluir em termos cognitivos.

Este livro veio confirmar um sentimento que desenvolvi no livro anterior: a revolta perante o pouco talento da escritora. Mr. Grey é uma personagem com uma personalidade bastante complexa e que se bem desenvolvida e explorada poderia tornar o livro bem mais interessante. A autora é muito superficial na abordagem dos detalhes e das explicações para aquilo em que Grey se tornou. É rudimentar na construção de todas as dimensões que compões esta complexa personalidade. E é uma pena que estes aspectos não tenham sido desenvolvidos de forma profissional. É triste ver que a autora preferiu reduzir o livro à descrição de umas quantas cenas de sexo, com ou sem sadomasoquismo, e deixou esquecidas todas as outras componentes que poderiam dar muito mais ao livro.

É um livro muito fácil de ler. Não exige grandes reflexões ou divagações. Não se constitui como uma leitura intelectualmente estimulante, aspecto que muitos leitores procuram nos livros. É apenas um livro que nos permite esvaziar a mente dos problemas e preocupações diárias e que daqui a uns dias mal nos lembramos. 

sábado, 29 de agosto de 2015

TAG Dos 50% | Mid Year Book Freak Out TAG

Esta é uma Tag permite fazer um balanço da primeira metade do ano de 2015. Retirei-a do blog e canal A mulher que ama livros. 
Podem ver o vídeo original aqui: https://www.youtube.com/watch?v=03gz6k0IB-Y&feature=youtu.be

Para responder a esta TAG vou-me focar nos seis primeiros meses deste ano. 

PERGUNTAS
1. O melhor livro que você leu até agora, em 2015.
A Sombra do Vento (O Cemitério dos Livros Esquecidos #1)
Não comecei da melhor maneira a leitura deste livro, mas quase sem querer fui arrastada para uma enxurrada de informação e desenvolvimentos que me tornaram uma verdadeira admiradora deste livro. Estou muito curiosa para ler a continuação desta série.
 
2. A melhor continuação que você leu até agora, em 2015.
Ainda não li nenhum livro que fizesse parte da continuação de uma série.

3. Algum lançamento do primeiro semestre que você ainda não leu, mas quer muito.
Não tenho prestado muita atenção às novidades literárias. Como ando com o orçamento apertado, prefiro não ver as tentações.

4. O livro mais aguardado do segundo semestre.
A mesma situação da questão anterior.

5. O livro que mais te decepcionou esse ano.
Amar em Francês
Pela opinião da Denise, pela premissa que orienta o livro e pelo título espera uma leitura melhor do que afinal acabou por se revelar.

6. O livro que mais te surpreendeu esse ano.
Em Parte Incerta
As voltas que este livro dá são fantásticas. Facilmente nos rendemos ao talento da escrita que figura no livro.

7. Novo autor favorito (que lançou seu primeiro livro nesse semestre, ou que você conheceu recentemente).
Julia Quinn. Fiquei a conhecer esta autora no início deste ano, graças à generosidade da Marta do blog I only have, que me emprestou três livros da autora. Fiquei fã no primeiro livro. Tenho que, rapidamente, partir para a leitura dos próximos.

8. A sua quedinha por personagem fictício mais recente.
Esta é muito fácil. O meu novo "amor literário" é o Greg do livro Amor e Chocolate da autora Dorothy Koomson.

9. Seu personagem favorito mais recente.
Cathy Glass, que não é apenas uma personagem e sim uma pessoa real que escreve livros de crianças especiais onde ela tem um papel fundamental.

10. Um livro que te fez chorar nesse primeiro semestre.
Nenhum livro me levou às lágrimas nos primeiros seis meses. As lágrimas chegaram depois.

11. Um livro que te deixou feliz nesse primeiro semestre.
A Sombra de um Passado
Este livro deixou-me feliz pela história e por aquilo que significa para a sua escritora, que sem querer se tornou uma pessoa especial para mim.

12. Melhor adaptação cinematográfica de um livro que você assistiu até agora, em 2015.
Não vi nenhuma adaptação cinematográfica.

13. Sua resenha favorita desse primeiro semestre (escrita ou em vídeo).
A opinião que fiz ao livro A sombra do vento. Podem lê-la aqui: http://por-detras-das-palavras.blogspot.pt/2015/07/opiniao-sombra-do-vento-o-cemiterio-dos.html.

14. O livro mais bonito que você comprou ou ganhou esse ano.
Ainda não comprei nenhum livro este ano. E ganhei alguns no início do ano. Dos que recebi aquele que acho mais bonito é:
As Filhas do Graal 

15. Quais livros você precisa ou quer muito ler até o final do ano?
Não vou fazer nenhuma lista, porque tenho lido muito ao sabor dos meus apetites. 

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Opinião | Rosas


Rosas

Autora: Leila Meacham
Ano: 2010
Número de páginas: 582 páginas
Classificação: 5 Estrelas
Sinopse: Aqui

Opinião
Rosas é um livro para ficar guardado no coração. Tive de entregá-lo na biblioteca e já sinto saudades dele. É mais um daqueles livros que preenchem cada espacinho do meu coração.

Este livro traz-nos uma saga de famílias cujos destinos se cruzam ao longo dos anos. Toliver, Warwick e DuMont são famílias de negócios que muito contribuem para a fundação e desenvolvimento da cidade onde vivem.
Os Toliver são uma família que se dedica à produção de algodão. Quando o patriarca da família morre, deixa todas as suas propriedades à sua filha mais nova Mary. Este testamento abala toda a estrutura familiar porque seria de esperar que fosse a esposa a herdar tudo. Mary é uma jovem cheia de força e à medida que eu assistia ao seu crescimento aprendi a admirá-la apesar de, muitas vezes, me ter apetecido dar-lhe um estalo para ver se ela deixava de ser tão racional. Eu conseguia compreender a racionalidade dela, mas ficava sempre com o coração apertado com a forma com que ela reagia ao Percy Warwick, o homem que preenchia, preenche e sempre preencheu o lugar mais especial do seu coração. Eu fiquei extremamente enternecida com a história de amor entre Percy e Mary. Foi tudo tão delicado, misterioso e com muitos sentimentos à mistura que é impossível não ficar envolvida e rendida.
A amizade de Percy e Ollie (DuMont) foi outro aspecto que mexeu com as minhas emoções. Já aqui referi algumas vezes o respeito e os sentimentos que as amizades despertam em mim e o quanto eu as valorizo. Olhar para Percy e Ollie é olhar para o que de melhor oferece uma boa amizade. Foi tão intenso que olho para Ollie com a maior das admirações  e respeito. Sem dúvida seria alguém com que gostaria de me cruzar.

A narração dedicada ao passado destas famílias ocupa grande parte do livro. É uma história tão intensa e envolvente, cheia de voltas e contravoltas, que me atingiram os sentimentos e me deixaram completamente envolvida com as personagens e os seus dramas. Quando cheguei à parte que nos conta a história mais recente das família, nomeadamente a vida da 3ª geração, eu senti uma quebra na intensidade emocional que até então tinha sentido. Acabei por não me sentir tão ligada às novas personagens, porém gostei da forma como as coisas foram evoluindo.

Destaco, também pela positiva, os apontamentos históricos que fazem parte do livro. Acrescentam valor e realismo à história. 

Como poder ver pela minha opinião, foi um livro que me emocionou. Ri, chorei, zanguei-me, revoltei-me, mas, no fim, fica o sentimento de que os finais felizes podem assumir diferentes tonalidades. Não precisam de ser todos cor-de-rosa e repletos de corações. Os finais felizes podem ter alguns apontamentos de tristeza e melancolia, em que apesar de tudo as pessoas conseguem avançar na vida.

Quando ganhar o euromilhões vou adquirir o livro para a minha estante para que eu o possa ler sempre que assim o desejar.

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Palavras Memoráveis


Livro: Grita por mim
Karen Rose

Mantém os teus inimigos próximos do coração; então saberás se eles estão prestes a trair-te. 

Palavras Memoráveis


Livro: A rapariga e os fósforos
Hans C. Andersen

Quando cai uma estrela, é porque uma alma sobe até Deus. 

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Opinião | Preciso de ti: perturbações psicossociais em crianças e adolescentes


Preciso de ti

Autor: Pedro Strecht
Ano: 2001
Número de páginas: 277 páginas
Classificação: 5 Estrelas


Opinião
Devido à especificidade deste livro, ele poderá não ser do interesse de qualquer pessoa. Este é um livro que aborda questões relacionadas com a saúde mental em crianças e adolescentes. Neste sentido, penso que este livro será mais indicado para profissionais que trabalhem com crianças e adolescentes, para profissionais da área da saúde mental e para outros profissionais que lidam diariamente com crianças, como por exemplo professores.

É um livro muito fácil de ler. Tem uma linguagem acessível, mesmo para quem não domina os conceitos mais técnicos, 

Um dos aspectos que mais me agradou no livro foi a existência de casos práticos, ou seja, o autor partilha no seu livro histórias de crianças que cruzaram os seus caminhos durante a sua prática profissional.

Foi, para mim, um livro que me proporcionou algumas aprendizagens e que me permitiu "reciclar" aspectos relacionados com a minha actividade profissional.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Projecto Conjunto | Empréstimo Surpresa [Os motivos]


O meu projecto conjunto com a Denise do blog Quando se abre um livro continua de vento em poupa. Tem sido muito positivo estes empréstimos porque ambas temos lido novos autores e conhecido novos livros.

Esta é a minha vez de enviar o livro à Denise e decidi ter em conta as nossas conversas. 

Então a minha escolha recaiu sobre:

Sonhos Proibidos (Belle #1)

Sonhos Proibidos
Lesley Pearse

Os motivos...
  • A Denise partilhou comigo que estava com saudades de um livro que lhe incendiasse as emoções. Que a fizesse rir, chorar... Que assolapasse o seu coração de modo a ficar com ressaca literária.. Bem... Acho que este poderá ser um bom candidato a "despertador" de emoções.
  • É um contributo para que a Denise solidifique a sua opinião em relação à autora Lesley Pearse.
  • Porque quero que ela conheça o Ettiene.
Boa leitura, Denise!!

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Opinião | Cinzas e Neve


Cinzas e Neve

Autora: Célia Correia Loureiro
Ano: 2012
Número de páginas: 24 páginas
Classificação: 5 Estrelas
Sinopse: Aqui

Opinião
É difícil sentir-me satisfeita como leitora quando leio um conto. Ao fim de cada conto lido sinto sempre que falta qualquer coisa. Ou é a história que não foi profunda o suficiente, ou porque ficaram muitas pontas soltas ou por qualquer outra razão inerente ao conteúdo do conto. Porém, a minha experiência com este conto foi totalmente diferente.

Até ao momento, da escritora Célia Loureiro só tinha lido um livro e foi como leitora beta. Quando me cruzei com este conto, achei que poderia ser uma boa escolha para o desafio Português no Feminino. E, de facto, foi uma excelente escolha. Adorei!!!

Tanto a minha experiência com livro como com este conto, sinto que a Célia tem uma maneira muito própria de trabalhar as palavras. Ela consegue juntá-las numa dança de conteúdo harmoniosa e muito cativante.

Cinzas e Neve dá-nos a conhecer a história de um casal afastado pelo destino e pelas personalidades. No fundo, não lhes foi permito viver o amor que os unia. Afastaram-se e reencontraram-se. E é neste reencontro que ficamos a saber tudo o que os uniu e os afastou, aquilo que foi condicionando as suas vidas e as suas perspectivas em relação a um futuro próximo.

É um conto carregado de sentimentos, de lágrimas, sorrisos e recordações. Um conto onde não fica nada por contar e onde ficamos a conhecer o Henrique e Cristina através dos olhos e da voz de Cristina. Nunca sabemos onde esta voz nos vais levar. Vamos seguindo, embalados  nas palavras, sem saber que final nos vai ser oferecido. Final este, que só ficamos a conhecer na última frase do conto.

Dos vários contos que já li, este foi o que mais gostei até ao momento. 

sábado, 22 de agosto de 2015

Opinião | A vida na porta do frigorífico


A Vida na Porta do Frigorífico

Autora: Alice Kuipers
Ano: 2009
Número de páginas: 240 páginas
Classificação: 3 Estrelas
Sinopse: Aqui

Opinião
Andava com este livro na estante há algum tempo em lista de espera para ser lido. Confesso que a minha vontade para o ler foi-se logo no momento em que o recebi cá em casa, o abri e vi como estava organizado o seu conteúdo. Quando o encomendei numa das promoções da presença não imaginava com tão pouco texto. Sim, foi preconceito aquilo que aconteceu porque pensei que pouco texto era indicativo de má história. 

Felizmente fui agradavelmente surpreendida. Gostei bastante da forma como a autora decidiu contar a história e também gostei do conteúdo que a história me ofereceu.

Através de uma forma simples, Alice Kuipers oferece-nos uma história carregada de sentimentos e significados. Através de pequenos bilhetes partilhados na porta do frigorífico ficamos a conhecer a relação, os dramas, as tristezas e os afectos que são partilhados entre uma mãe e uma filha. São duas pessoas, como tantas outras, que se deixam absorver pelas exigências do dia-a-dia, que ficam sem tempo para partilhar com aqueles que mais gostam. Vivem a correr passando ao lado da vida e daqueles que amam. 

O final foi bastante tocante para mim. Emocionei-me com as palavras que lá foram deixadas. Está escrito de uma forma muito simples, mas ao mesmo tempo muito tocante. 

Para quem quer uma leitura rápida, com alguma descontracção e com um toque de sentimentalismo, este é um bom livro. 

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Projecto Conjunto | Empréstimo Surpresa [Desafio]


Finalizada a leitura do livro enviado pela Denise do blog Quando se abre um livro, chega a hora de responder ao desafio.

Para quem não se lembra, o livro enviado foi O cirurgião de Tess Gerritsen e o desafio proposto pela Denise foi o seguinte:

Imagina que vais almoçar com a autora Tess Gerritsen e que podes fazer-lhe três perguntas à tua escolha, relacionadas ou não com as suas obras literárias. Que questões lhe colocarias?"


  1. Tendo em conta a sua experiência com a medicina e os procedimentos médicos, o que é mais difícil colocar no papel quando aborda estas questões nos livros?
  2. Como constrói a narrativa dos seus policiais? Tem algum truque que possa partilhar?
  3. Para si, quais devem ser os três ingredientes principais de um bom policial?

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Opinião | Espero por ti em Paris


Espero por ti em Paris

Autores: Diana Mendonça e David Marle
Ano: 2006
Número de páginas: 123 páginas
Classificação: 2 Estrelas
Sinopse: Aqui


Opinião
Este é um livro de leitura rápida e que deixa pouco para dizer sobre ele.
Espero por ti em Paris é uma história de um amor com contornos específicos que o tornam uma meta difícil de alcançar para Carolina e Philippe.
Achei confusa a forma como os autores construíram e desenvolveram a narrativa. É, igualmente, pouco clara e carece de elementos que a enriqueçam. O desenvolvimento destes aspectos tornariam a leitura mais apelativa e interessante. 
O que gostei no livro foi a forma inesperada dos acontecimentos que marcam a história de Carolina e Philippe. Os autores procuraram não ir pelo mais óbvio e ofereceram elementos surpresa para despistar o pensamento lógico dos leitores.

Espero por ti em Paris é um livro óptimo para quem pretende uma leitura rápida e com alguma emoção. 

Palavras Memoráveis


Livro: A culpa é das estrelas
John Green

E depois existem livros (...) acerca dos quais não podemos falar a ninguém, livros tão especiais e raros e nossos, que publicitar o nosso afecto dá a sensação de ser uma traição. 

O tipo de clima que depois de um longo Inverno, nos relembra que embora o mundo não tenha sido feito para os humanos, nós fomos feitos para o mundo.

Somos tão capazes de magoar o universo como de o ajudar, e não é provável que façamos qualquer uma das coisas. 

domingo, 16 de agosto de 2015

Agosto | Português no Feminino


Este é um dos desafios de 2015 que melhor está a correr. Chegou então o mês de Agosto e é necessário escolher uma nova autora e a sua respetiva obra. Este mês apetece-me ler um livro e deixar os contos para meses mais complicados. Assim, vou pegar num livro que já quero ler há muito tempo. 

Eis a autora e livro eleito:
A Chama ao Vento

Carla M. Soares
A chama ao vento

Quem é que desse lado já leu?
A única obra que li da autora foi uma em versão Beta, por isso está será a minha estreia com os seus livros já publicados.

sábado, 15 de agosto de 2015

TAG| Cenários de Verão


 

Como preciso de ir mantendo o espaço com algum dinamismo trago-vos mais uma TAG! 
Pensava que seria um mês com mais disponibilidade para me dedicar ao meu espaço, mas tal não se está a verificar.


Vi esta TAG no blog The Mistery's Garden e como continuo numa onda de Verão achei que poderia ser engraçado responder. 
A TAG foi criada pela Joca do little house of books para o projeto Cinco Páginas e consiste em associar livros a diferentes cenários de solarengos e relacionados com férias. 

1. Foste viajar até um país que sempre quiseste conhecer e levaste um dos teus livros favoritos contigo... mas perdem a tua bagagem. Por que livro viajarias km e km para voltar a ter nas mãos?

Segue o Coração - Não Olhes Para Trás

Esta é uma categoria bastante difícil, porque tenho vários livros preferidos... Por isso, aquele que me veio primeiro à memória foi mesmo este da Lesley Pearse.

2. Ouves gritos e depressa percebes que um livro se está a afogar. Que livro se estava a afogar, visto que tu assim que o vês decides voltar atrás e sentares-te na toalha a apreciar o espetáculo.

Reflexos num olho dourado

Antes de mais eu nunca iria assistir a um espetáculo destes. Eu posso não gostar do livro, mas outra pessoa poderá gostar. Portanto, quando não gostamos dos livros devemos libertá-los para chegar a outros leitores. Porém, se perdesse este livro para outra pessoa não ficaria aborrecida.

3. Adoras ir a parques aquáticos no verão porque te divertes sempre imenso por lá. Que livro super divertido levas contigo para te fazer companhia?

Crónica de Paixões e Caprichos  (Bridgertons, #1)

Tanto que me ri com este livro!!! Acho que está na altura de voltar a pegar em livros da série.

4. O que há de melhor no verão senão os gelados? O único problema é derreterem depressa. Que livro derreteu o teu coração?

Rosas

São tantos os livros que me derretem o coração. Rosas foi o mais recente. 

5. Encontras-te no jardim, deitado(a) na tua rede a ler um livro gigante mas, do nada, aparece um enxame de abelhas, e usas então o livro que estás a ler para as esmagares. Qual é o livro?

As Cinquenta Sombras de Grey (Fifty Shades, #1)

As abelhas quando vissem a Anastasia e o Mr. Grey fugiriam a sete pés e nem sequer seria preciso esmagá-las. 
 
6. Estás a caminho da piscina quando te deparas com uma mega promoção numa livraria. Entras e vês por lá um livro que queres imenso ler. Que livro encontras?

A Promessa (Belle #2)

Sei que a minha estante já sofre por este livro à imenso tempo.

7. Oh não!!! Adormeceste ao sol com um livro em cima da tua barriga. Que livro não te importavas de ter marcado na pele?


O Grande Amor da Minha Vida (O Cavaleiro de Bronze, #1)

Mais um dos meus livros preferidos.

8. O Verão é a estação do ano ideal para acampar. Contudo, pode tornar-se um pouco assustador... Durante a noite acordas com um barulho bem estranho do lado de fora da tenda. De que livro te lembras automaticamente?

Messias

Nunca li nenhum livro suficientemente assustadora. Este veio-me à memória pela crueza e violência dos crimes. 

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Palavras Memoráveis


Livro: Romeu e Julieta
William Shakespeare

Só se ri das cicatrizes aquele que nunca sentiu uma ferida.

sábado, 8 de agosto de 2015

Tag| The Summer Book Tag


Já não me lembro da última vez que respondi a uma TAG. Tanto tempo, que até já estava com saudades. 

De entre uma lista imensa de TAGs que tenho para responder, escolhi esta porque estamos no Verão e por isso é adequada ao tempo em questão.
Já não me lembro quem é o autor da TAG, nem de onde a retirei, por isso as minhas desculpas por não referenciar. 

Quem quiser pode levar e responder nos seus blogs.

1. Que livro tem uma capa que te faz pensar em Verão?

Sozinhos na Ilha
Sozinhos na ilha
Tracey Garvis Graves

Ao olhar para o azul desta capa e ver a praia de contornos paradisíacos é impossível não pensar no Verão.

2. Que livro iluminou o teu dia?
A Sombra do Vento (O Cemitério dos Livros Esquecidos #1)
A sombra do vento
Carlos Ruiz Zafón

Ainda não coloquei a opinião deste livro aqui, mas para já posso dizer que fui "atropelada" por sentimentos diversos durante a leitura. Nem sempre me senti ligada ao livro, mas assim que a conexão se deu não me consegui desprender da história. Um livro maravilhoso. 

3. Encontra um livro com capa amarela ou algo amarelo.
Aparição
Aparição
Vergílio Ferreira
Um livro que pretendo reler um dia.

4. Qual a tua leitura de praia favorita?
Não vou muito à praia porque vivo longe. Aliás já não ponho os pés na areia há mais de dois anos. 
Aqui na minha zona tinha a opção da piscina, praia fluvial ou barragem, mas não me encanta tanto como a praia. 
Caso vá à praia levo sempre para ler o livro que me encontro a ler na altura.

5. Que livro de acção te faz correr atrás do senhor dos gelados?
Não me estou a recordar nenhum livro de ação que me faça querer correr atrás do senhor dos gelados. Aliás, se estiver a gostar do livro fico tão absorvida que não vejo nada do que se passa à minha volta.

6. Escaldão... que livro te deixou com um final doloroso?
A Vida na Porta do Frigorífico
A vida na porta do frigorífico
Alice Kuipers

Fui completamente apanhada de surpresa com o desenrolar da história deste livro. E o final foi bastante triste... Não estava nada à espera que as coisas acabassem daquela forma.

7. Pôr-do-sol... que livro te deu sentimentos felizes quando o terminaste?
Amor e Chocolate
Amor e Chocolate
Dorothy Koomson

Este livro foi um contínuo de sentimentos felizes. Não resisto a um romance onde a amizade se transforma num bonito romance. 

8. Que capa te lembra o pôr-do-sol?
Ao anoitecer
Susan Minot

Apesar de não ter gostado nada deste livro, acho a capa bastante bonita e faz-me lembrar o pôr-do-sol.

9. Que livro ou série esperas ler este Verão?
Rosas
Rosas
Leila Meacham
Finalmente!!! Já tenho este livro na mesinha-de-cabeceira para ler assim que consiga. 

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Opinião | As cinquenta sombras de Grey (Fifty Shades #1)


As Cinquenta Sombras de Grey (Fifty Shades, #1)

Autora: E. L. James
Ano: 2012
Número de páginas: 552 páginas
Classificação: 2 Estrelas
Sinopse: Aqui

Opinião
Este livro já me despertava a curiosidade há algum tempo, por toda a controvérsia criada em torno da séria. Há quem odeie, há quem goste e há quem ame. E como eu não sou de limitar as minhas leituras tendo em conta as opiniões de outras pessoas (e até mesmo pessoas em quem confio de olhos fechados) decidi arriscar e ver o que saía daqui. 

Não estamos perante  nenhuma obra prima da natureza, mas isso eu já desconfia que não ia encontrar. No fundo, parti para esta leitura pensando que me ia cruzar com um livro mau. Contudo, não o achei assim tão mau com aquilo que estava à espera,

Aquilo que me permite dizer que não é um livro assim tão mau, é o facto de que foi um livro que me entreteve (cumprindo, assim, um dos propósitos da leitura). Como estou a passar por um período intelectual um pouco exigente, preciso de leituras que me permitam esvaziar o cérebro, leituras que não exijam muito de mim, nem me levem a grandes reflexões. Este livro reúne as condições para responder às minhas necessidades, porque, de facto, não exige muito de nós. É uma leitura fácil, sem complexidades e que entretém durante tempo que estamos a ler.

Sem dúvida que em termos literário é um livro fraco. Possuiu um escrita de baixa qualidade, com más descrições e diálogos muito pobres. Há um recurso exagerado ao calão, o que torna a história entre Grey e Anastasia pouco apelativa ao mesmo tempo que anula qualquer tipo de romantismo que a autora tem intenção de transmitir. 
O curioso foi que estas coisas me fizeram rir e revirar os olhos. A grande responsável pelos meus momentos de riso e revirar de olhos foi Anastasia. A autora queria que o leitor olha-se para ela como uma mulher inteligente, madura, que numa certa dose consegue desafiar o Grey e sai como vencedora. Mas eu não consegui ver isso. Eu achei a rapariga pouco dotada em sinapses de qualidade e sem qualquer poder de desafio perante o senhor todo o poderoso Mr. Grey. É pouco dotada porque: 1) Nunca a vi ter uma conversa inteligente e profunda com ninguém; 2) Não consegue, verdadeiramente, enfrentar o Grey nem estabelece com ele um diálogo coerente e que os levasse a algum lado (parece que só falam em círculo, tudo começa e acaba em sexo, mesmo quando há uma tentativa de procurar falar sobre sentimentos ou sobre a personalidade de cada um); 3) é mentirosa, pois diz que não faz parte da personalidade dela ser submissa, porém rende-se quase por completo ao Grey e, por fim 4) é estúpida porque sabendo tudo o que sabe deste homem ainda lhe faz aquele pedido final e não usa a palavra de segurança. Foi bem feito para ela! Ela só teve o que pediu. 
Grey diz que Anastasia o desafia. que não é uma mulher submissa. Pergunto-me onde ele vê isso, porque basta um olhar dele ou um simples toque para que ela se derreta toda e siga todas as instruções que ele lhe dá.

Uma das críticas feitas ao livro é a quantidade de cenas de sexo. Partindo com esta ideia para a leitura pensei que me ia cruzar com mais do que aquelas com que verdadeiramente me cruzei. Sabendo que é um livro enquadrado no género erótico era de se esperar que elas surgissem. Comparando com outros livros do género, talvez sejam mais cenas. Contudo, se pegarmos em alguns livros de Madeleine Hunter (pelo menos daqueles que já li) também há cenas de sexo em quantidade razoável. Aliás nos livros que li desta autora a tensão sexual entre as personagens é sentida logo no início, mesmo que elas mal se conheçam.

Um dos aspectos que discuti com a Silvéria do blog The fond reader foi o facto de Grey justificar o seu comportamento presente pelos aspectos difíceis que viveu na sua infância até aos quatro anos. Agora que li, posso dizer que concordo com ela por diversos motivos: 1) há uma justificação e descrição muito pobres, logo não dá para perceber o que é que de tão marcante aconteceu; e, 2) as memórias de infância têm muitas especificidades, não posso afirmar com certeza, mas por aquilo que me recordo das aulas de "Psicologia da Memória", as nossas primeiras memórias remetem-nos para os 4/5 anos de idade e, muitas vezes, são memórias re-construídas, ou seja, quando não nos conseguimos lembrar de tudo vamos "tapando os buracos" com aquilo que pensamos que aconteceu. Por estas razões a estratégia utilizada pela autora não me convenceu.

Em relação à continuidade da série, como me ajudou a desanuviar, pretendo ler os livros seguintes. Também fiquei curiosa por saber até onde vai a estupidez da Anastasia. 


quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Palavras Memoráveis


Livro: Romance de Cordélia
Rosa Lobato de Faria

Explicou-me que lia sempre os mesmos livros mas não se importava nada, era como revisitar velhos amigos.

(...) explicou-me que a poesia é certamente uma forma de oração, porque é preciso ser abençoado para escrevê-la. 

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Opinião | Reflexos num olhos dourado


Reflexos num olho dourado

Autora: Carson MacCullers
Ano: 2011
Número de páginas: 100 páginas
Classificação: 1 Estrelas
Sinopse: Aqui


Opinião
Reflexos num olho dourado foi um livro que ganhei de um passatempo no ano passado. Era totalmente desconhecido para mim. Não conhecia a autora, nem nunca tinha ouvido falar dela e também nunca me tinha cruzado com o livro em causa.

Sem grandes expectativas, parto para a leitura. Agora que o terminei, ainda bem que não estava à espera de um grande livro.
Este é um daqueles livros do qual nada ou quase nada assimilei. Tenho a certeza que daqui a uns tempo não me vou lembrar de nada do que se passou nestas páginas.

Neste momento, aquilo que eu posso partilhar com os meus leitores é que Reflexos num olho dourado é um livro que tenta dar ao leitor diferentes perspectivas das relações humanas, dando-nos a conhecê-las através de diferentes personagens e com interacções bastante complexas. Porém, tudo acontece demasiado rápido e de um forma algo vazia que a história me passou um bocado ao lado.

Acho a história um pouco confusa, com pouca envolvência e que aborda as coisas de uma forma muito superficial.  
É apenas um livro lido! Não me marcou, nem fará parte das minhas memórias literárias. 

sábado, 1 de agosto de 2015

TAG | Doces Livros e Docinho



Esta TAG foi-me passada pela querida Mistery do blog The Mistery's Garden. E como já foi à imenso tempo, achei que estava mais que na hora de responder. Como estou sem paciência para criar imagens, vou usar as da Mistery.

Esta é a TAG indicada para mim. Motivo: adoro doces e livros.
Confesso-me um gulosa assumida. Onde me cheira a "açúcar" sou pior que as formigas. Gosto de quase tudo o que seja doce e adoro cozinhar sobremesas. Portanto nada melhor que uma TAG que junte dois gostos que me preenchem (já nem vou falar no quanto gosto de livros que é para não aborrecer).

Citando a Mistery...
[Esta Tag] é composta por 12 sobremesas e snacks açucarados, cujas características associei aos nossos livros mais doces e aos não tão doces assim - ou aos excessivamente doces que os tornaram a leitura a mais insuportável de todas! Inclui também mais três perguntinhas extra relacionadas com doces tipicamente portugueses. Enfim... que me dizem a um doce?


Chocolate
Um livro tão, mas tão bom que preferiste avançar calmamente na sua leitura só para aproveitar cada página


Já me cruzei com leituras tão boas, mas tão boas que chegavam a ser melhores do que comer chocolate. Porém, eu tenho um grande problema com estas leituras. Quando estou a gostar muito, muito é quando tenho vontade de ler mais compulsivamente. Apesar desta minha característica lembro-me de um livro que eu li de forma mais arrastada só para "poupar" a leitura. Esse livro foi Sonhos Proibidos de Lesley Pearse. Simplesmente adorei o livro e estava a gostar tanto que não queria que ele chegasse ao fim muito depressa.


Cupcake
Um livro cuja parte inicial consideras ser a melhor (a parte do meio e/ou a final não precisam necessariamente de ser "más")



O livro Desaparecida de Katy Garden tem um início que prende logo o leitor. Em livros deste género é muito importante começar de forma misteriosa e envolvente. Todo o livro em si, é bom, mas esta parte inicial é fundamental para que tudo o que vem em seguida faça sentido. 


Bolo
Um livro que misturou vários géneros literários e se tornou numa combinação deliciosa.



Para esta categoria, o livro que me salta logo à memória foi aquele que me fez olhar para a fantasia com outros olhos. 
A filha da floresta de Juliet Marillier junta, fantasia, contos de fadas, mistério, aventura, romance, história, mitologia... É um livro que adorei ler e que já me fez ler outros livros da escritora. 


Algodão Doce
Um livro tão doce que enjoa


Aqui estou como a Mistery e não consigo identificar nenhum livro que me tenha enjoado ao longo da leitura. Mas tal como ela, este enjoo começa a acontecer com o autor Nicholas Sparks. Já não consigo ler livros dele com a mesma paixão e entusiasmo do que há uns anos atrás. Comecei a aborrecer-me com as histórias e com a intensidade dramática aborrecida que ele começa a dar-lhe. Ao pegar num livro dele é sentir que vamos ler mais do mesmo... Falta-lhe inovação!!

Gomas
Um livro que toda a gente gosta & A tua leitura atual (ninguém compra só uma goma, pois não ;) )


Tenho dificuldade em eleger um livro que seja consensual à maioria das pessoas. Poderia dizer o mesmo que identifiquei na categoria "Bolo", porque, de facto, A filha da floresta é um livro que muita gente gosta. Para não repetir, escolho um da mesma série, neste caso O filho das sombras. Até ao momento foi o meu livro preferido da série e tem uma cotação de 4.32 no goodreads, o que me parece indicativo de livro que agrada a muitas pessoas.  

Neste momento vou iniciar a leitura do livro O cirurgião de Tess  Gerritsen. 


Gelado
Um livro suave, com uma narrativa suave e uma escrita suave. Uma leitura suave.



Para esta categoria, vou indicar o livro Crónica de Paixões e Caprichos de Julia Quinn. É um livro muito leve, divertido e com uma história muito leve e suave.


Macarons
Um livro que toda a gente já leu menos tu. 


Há duas séries que toda a gente fala e muita gente já leu e eu ainda não peguei porque nunca senti muita vontade de ler. São elas: Harry Potter e A Guerra dos Tronos. Pela primeira, não tenho qualquer interesse, nem nunca tive. Em relação à A Guerra dos Tronos a minha curiosidade começa a surgir e um dia ainda me agarre a esses livros.


Pipocas
Um livro que, na tua opinião, daria um excelente filme (nada de batota neste, pessoal, sabem o que eu quero dizer!)


Sem dúvida, o livro que eu acabei de ler. Rosas de Leila Meacham daria um excelente filme... Ou ainda melhor uma série para contar a história dos Toliver, Warwick e DuMont. Seria de prender os espectadores ao ecrã.


Twix, Lion e outras barras de chocolate
Um livro que trás muito pouco para o preço que pagaste (interpretação livre)



Eu compro poucos livros e aqueles que compro é sempre em promoções ou em segunda mão, por isso não consigo encaixar aqui nenhum. 


Cheesecake
Um livro frio (interpretação livre)


Messias de Boris Starling é um livro cru, duro, cruel e frio. Um policial onde não existe espaço para sentimentalismos. É o crime e a morte no seu melhor.


Crepe
Um livro que precisava de "recheio" para se tornar bom ou ainda melhor


Amar em francês de Ellen Sussman. Um pouco mais de conteúdo e desenvolvimento de uma parte da história tornaria o livro mais interessante.


Maçãs Caramelizadas
Qual o livro mais romântico da tua estante?


Dias de Ouro de Jude Deveraux. É um romance tão querido e apaixonante que arranca alguns suspiros.


EXTRAS - Doces Portugueses:
Ovos Moles de AveiroUm livro com uma capa neutra e sem vida, mas cujo interior seja bastante agradável


Histórias da Terra e do Mar de Sophia de Mello Breyner Andresen. A capa não é nada de especial, mas tem no seu interior um conjunto de histórias muito agradável. 



Pão-de-Ló
Um livro cuja desilusão foi tanta que até custou a engolir


Romeu e Julieta de William Shakespeare. Estava à espera de ficar mais encantada com o livro, mas tal não aconteceu. 


Pastel de Nata
Um livro pequeno, mas que te diz muito (interpretação livre)


O cavaleiro da Dinamarca de Sophia de Mello Breyner Andresen. É um livro que me transporta para uma das épocas do ano que mais gosto: o Natal. É uma história muito bonita que se entrelaça com outras histórias igualmente bonitas. Um livro que quero reler.