sábado, 24 de junho de 2017

Opinião | "Inês" de Maria João Fialho Gouveia

Inês

Classificação: 5 Estrelas

O meu primeiro contacto consciente com a história de Pedro e Inês foi com o estudo d' Os Lusíadas, no nono ano. Dessa altura, aquilo que me ficou foi a ideia de uma amor que marcou a história de Portugal e que acabou de forma trágica.

Mais tarde, enquanto estudante de Coimbra, voltei a "cruzar-me" com Pedro e Inês e cheguei a visitar os jardins do agora hotel Quinta das Lágrimas, local central da narrativa deste livro.
Apesar de conhecer os acontecimentos em traços gerais e os momentos chave deste romance, nada me aborreceu durante a leitura. 

Inicialmente, quanto temos o primeiro contacto com o texto, não o sentimos como uma leitura fácil. A autora recorreu a um estilo de escrita muito particular, com palavras cuidadosamente escolhidas, transformando-se num leitura um pouco mais difícil. Porém, ao avançar pelas páginas, acabei por me ambientar ao estilo da escrita e facilmente me vi agarrada à narrativa. 

Gostei muito de conhecer, de forma aprofundada e pormenorizada, o modo como as vidas de Pedro e Inês se entrelaçaram. 
Adorei conhecer a forma como viveram e expressaram o seu amor. Apesar de saber como é que Inês era ceifada dos braços de Pedro, em nada afetou a intensidade com que vivi a leitura desses momentos.

Para além de Pedro e Inês fiquei a conhecer outros aspetos da nossa história. Confesso que já não me recordava que Pedro era neto da Rainha Santa Isabel (mais uma personagem da nossa história que tenho vontade de conhecer com mais profundidade) nem dos tumultos que o amor de Pedro e Inês trouxe a Portugal.

Adorei a Inês e sofri um bocadinho com as suas escolhas. Um dos momentos que me tocou de forma particular foi a despedida entre Inês e a sua mãe adotiva. Fiquei de coração apertado com o quebrar de alguns laços que as unia de forma tão especial e da forma como tudo se modificou na relação delas daí em diante.

E é assim que vejo o meu gosto por Romances Históricos aumentar cada vez mais. Apesar de ter sido um leitura lenta e morosa foi uma experiência fantástica. Tenho a certeza de que os leitores que gostam deste género literário irão ficar rendidos ao livro. 

4 comentários:

  1. É uma leitura que vale mesmo a pena, apesar da escrita muito peculiar da autora. Penso que foi o primeiro livro histórico que li escrito desta forma; é como se nos transportasse para aquela época com o tipo de palavras que usa.

    E a história de Pedro e Inês é tão bonita, e tão trágica. Vale a pena conhecer melhor. :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vale mesmo. Eu acho que já li algum histórico escrito desta forma, ou então algum clássico... E sim, é uma forma de nos fazer viajar até a uma época distante.

      Trágica demais... Felizmente tiverem tempo de consolidar um amor que nasceu de forma tão sincera e cheia de ternura.
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Olá Silvana,
    Tenho tanta curiosidade neste livro pois já me foi recomendado várias vezes. E a tua opinião só veio reforçar a ideia que tenho mesmo que o ler! Será uma das próximas requisições da biblioteca ;)
    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Tita,
      Acho que fazes muito bem!
      Aguardo a tua opinião.
      Beijinhos e boas leituras.

      Eliminar

Obrigada pelo tempo que dedicaste à minha publicação!